Primeira-dama abandona Governo e antecipa mini-reforma de Robinson
Natal, RN 21 de jul 2024

Primeira-dama abandona Governo e antecipa mini-reforma de Robinson

7 de dezembro de 2017
Primeira-dama abandona Governo e antecipa mini-reforma de Robinson

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O pedido de demissão inesperado e ainda sem explicação da primeira-dama Julianne Faria provocou uma mini-reforma de última hora no secretariado do governo Robinson. Julianne exercia a função de secretária de Estado do Trabalho, Habitação e Ação Social e anunciou sua exoneração por meio das redes sociais. O governador Robinson Faria cumpria agenda administrativa em Brasília, quando a saída da esposa foi anunciada de madrugada no Instagram.

O agora novo titular da Sethas é Vágner Araújo, que acumulará a função de coordenador do programa Governo Cidadão (ex-RN Sustentável). Essa é a terceira vez que Araújo assume a pasta. Para amenizar o impacto do pedido de exoneração da primeira-dama, o Governo decidiu antecipar mudanças que ainda estavam em análise.

Uma alteração importante e com os olhos em 2018 ocorreu na secretaria de relações Institucionais. O ex-prefeito de Várzea Getúlio Ribeiro será substituído pela jornalista Estella Dantas, que deixa a assessoria do deputado federal Fábio Faria, em Brasília.

A pasta é mais do que estratégica para o Governo porque dialoga diretamente com os prefeitos do interior do Estado, recebendo e dando sequência às demandas dos municípios, especialmente as financeiras. A menos de um ano das próximas eleições, a secretaria passa a ser ocupada por uma pessoa de extrema confiança do filho do governador, o deputado Fábio Faria, que já atuava nos bastidores como um dos principais conselheiros e articuladores do governo do pai.

No Departamento Nacional de Trânsito (Detran) sai Júlio César Câmara, pressionado pela greve dos servidores, e assume Luiz Eduardo Machado, ex-apadrinhado do ex-deputado Wober Júnior (PP) e atualmente ligado ao deputado estadual Gustavo Carvalho (PSDB). O nome dele foi referendado pelo presidente da Assembleia Legislativa, o também tucano Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB). Alvo de denúncias por parte dos servidores do Detran, Júlio César continua na gestão, agora na direção da Empresa Gestora de Ativos do RN (Emgern).

A exoneração de Julianne Faria caiu como uma bomba no meio político. Auxiliares ligados à governadoria contatados pela agência Saiba Mais se mostraram surpresos e não tinham ideia do que motivara o pedido de exoneração da primeira-dama. Especula-se que, além de se despedir do Governo, Julianne também troque o PSD, mesmo partido de Robinson e Fábio Faria, por outra legenda. O Partido Trabalhista Cristão (PTC) é a opção mais provável.

Governo emite nota

Em comunicado divulgado no início da tarde, o Governo justificou as mudanças para “alinhar a gestão com as novas medidas e com todos os esforços necessários para sua implementação”. Ainda de acordo com a nota à população, o Governo afirma que vem trabalhando “um conjunto de medidas de combate à crise com vistas à retomada do equilíbrio financeiro do Estado, o que faz em parceria com os demais poderes e com o decisivo apoio do Governo Federal”.

A parceria com os demais poderes é questionável. Na verdade, a gestão Robinson vem mantendo uma extensa queda de braço com Tribunal de Justiça, o Ministério Público e o Tribunal de Contas em razão das sucessivas reduções nos repasses dos duodécimos. Segunda-feira passada, o TCE reprovou integralmente, por unanimidade, as contas da atual gestão referentes a 2016. Foi a primeira vez na história do Rio Grande do Norte que a Corte de Contas rejeita por inteiro um relatório de análise das movimentações financeiras e orçamentárias do Governo.

O relatório da conselheira Adélia Sales também sugere a prática de crime de responsabilidade pelo governador Robinson Faria, que pode ficar inelegível caso os deputados estaduais avalizem a decisão do TCE. A secretaria de Comunicação respondeu, também através de nota, que o govenador não é ordenador de despesa, por isso não pode ser responsabilizado pelo crime de responsabilidade.

Dos 24 parlamentares, apenas Fernando Mineiro (PT) e Kelps Lima (Podemos) fazem oposição sistemática ao governo na Casa. Ainda assim, é impossível prever a curto prazo o futuro político de Robinson Faria.

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.