CIDADANIA

Nota de solidariedade ao povo indígena Wajãpi

O Fórum de Diálogo Interreligioso do Rio Grande do Norte divulgou uma carta em solidariedade ao povo indígena Wajãpi, atacado sábado (28) por garimpeiros no Amapá. O cacique da tribo foi assassinado. Ministério Público Federal, Polícia Federal e Funai iniciaram investigações sobre o crime. Leia a carta na íntegra:

Nota de solidariedade ao povo indígena Wajãpi

Nós, do Fórum de Diálogo Inter-religioso do RN, compromissados com a paz e a justiça, repudiamos veementemente a invasão dos garimpeiros às terras dos Wajãpi, no estado do Amapá, como também o assassinato de um dos líderes indígenas, Emyra Wajãpi de 68 anos, a quem prestamos nossa solidariedade.

Assassinaram um fiel guardião da mãe terra, cuidador da natureza. A tribo Wajãpi está de luto e em grande perigo. Querem lhes roubar a terra que lhes é de direito, dizimar a língua, costumes e cultura e a religião. Segundo contam os Wajãpis, os garimpeiros invadiram a aldeia com cães ferozes, espingardas, metralhadoras e óculos de visão noturna. De maneira humilhante, estão roubando seus alimentos, como macaxeira, batata e milho.

Em uma invasão extremamente violenta, a primeira depois de 30 anos de demarcação das terras indígenas dos Wajãpis, o Cacique Viseni Wajãpi denuncia que os garimpeiros estão agredindo mulheres, crianças e guerreiros da aldeia, segundo informa o jornal diário do Amapá. Uma situação humilhante para nossos irmãos e irmãs Wajãpis, pois estão em desvantagem diante do aparelhamento dos assassinos garimpeiros com armas pensadas de poder letal.

O povo Wajãpi pede socorro. Os garimpeiros permanecem no centro das terras Wajãpi. O presidente Jair Bolsonaro em declaração nas redes sociais, questionou sobre a morte do líder indígena, como também reafirmou seu desejo de legalizar o garimpo no Brasil.

Viva o povo Wajãpi, guardiões da mãe terra, guardadores da floresta. Que o Deus de amor e justiça nos ilumine nessa árdua caminhada com as minorias em tempos tão sombrios.

Axé, amém, oxente, assalamo alaikum.

Natal, 29 de Julho de 2019

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo