+ Notícias

MPF recebe representação contra jornalista que atacou Greta Thunberg

As agressões do jornalista Gustavo Negreiros à ativista sueca Greta Thunberg na rádio 96 FM chegaram ao Ministério Público Federal. Uma representação foi ajuizada no final da tarde de quarta-feira (25), em Natal (RN), em meio aos desdobramentos do caso que ganhou repercussão nacional.

O jornalista e agora ex-apresentador do programa foi demitido após os quatro patrocinadores do 96 Minutos terem suspendido os contratos com a rádio em razão da dimensão que o caso tomou.

A representação, no entanto, está em sigilo a pedido do autor. De acordo com a assessoria de comunicação do órgão, a peça será distribuída para um procurador, que decidirá se recebe a denúncia e instaura inquérito civil para apurar o caso.

Gustavo Negreiros afirmou no programa 96 Minutos de terça-feira (24) que Greta Thunberg era “histérica”, “mal amada” e “precisava de homem e de sexo”. A ativista tem 16 anos de idade e é autista.

As declarações geraram revolta mesmo após um pedido desculpas do ex-apresentador do programa tanto na rádio como no blog que mantém na internet.

Escravo

Em outubro de 2018, outro caso de grande repercussão nacional foi apurado pelo MPF no Rio Grande do Norte. Uma mulher fantasiou o filho de escravo para participar da festa de Halowween de um colégio privado em Natal e publicou as fotos da criança na internet.

Após a repercussão negativa, a mãe apagou as imagens e também foi denunciada. O caso terminou num acordo entre as partes e a mulher pagou R$ 70 mil a instituições filantrópicas da cidade.

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"