DEMOCRACIA

Pré-candidato do PCdoB à prefeitura de Natal defendeu golpe contra Dilma e PEC do Teto dos Gastos

O sindicalista Fernando Freitas, anunciado semana passada como pré-candidato à prefeitura de Natal pelo PCdoB, não é um nome alinhado a todas as causas e bandeiras apoiadas pela sigla em nível nacional. Aliás, muito pelo contrário. Freitas e os comunistas não falaram a mesma língua nos últimos anos em momentos cruciais para o país.

Postagens publicadas pelo ex-presidente do Sindicato dos Auditores Fiscais no Rio Grande do Norte em 2016 mostram que Fernando Freitas foi um defensor do golpe que retirou do poder a então presidenta da República Dilma Rousseff (PT).

Em 31 de agosto de 2016, data em que o Senado confirmou o afastamento da ex-presidenta, Freitas tratou o impeachment como um dia histórico para a democracia:

“Na expectativa pela impeachment da Dilma, na torcida pelo fim da crise política e econômica em nosso país. Um dia histórico pela democracia e de esperança a todos e todas”, escreveu.

Como é de conhecimento geral, o PCdoB foi, ao lado do PSOL, um aliado de primeira hora do PT e da ex-presidente Dilma Rousseff durante todo o processo. Os comunistas defenderam a narrativa do golpe até os últimos momentos da consolidação do impeachment.

Já no governo de Michel Temer, enquanto o campo progressista formado principalmente por PT, PCdoB e PSOL chamava Temer e os ministros de Estado de “golpistas”, Fernando Freitas defendia nas redes sociais “um debate fraternal” com o Governo. E apoiou a PEC 241, batizada PEC do teto dos gastos, que congelou investimentos e gastos sociais por 20 anos.

– O debate aberto e fraterno é a alma da democracia. Li a tão badalada PEC 241 e, em resumo, enxerguei principalmente uma promessa de governo federal transitório, de que não irá continuar a escalada de aumento do déficit fiscal verificado nos últimos anos, e que levou o país para uma enorme crise econômica, com inflação, recessão e 12 milhões de desempregados”, escreveu.

Ao comentar a posse da ex-presidenta do Supremo Tribunal Federal, ministra Carmem Lúcia, sobrou críticas até para o ex-presidente Lula, além do compositor Caetano Veloso, taxado de “petista”.

– Lastimável e preocupante o momento retrô na posse da ministra Carmem Lúcia na presidência do STF, com a presença incômoda de convidados Lula e Sarney, e do canto do nosso hino pelo ícone petista Caetano Veloso. Quem salvou a festa foi o ministro decano Celso de Mello, que em seu discurso reafirmou seu compromisso com o combate à corrupção sistêmica e cobrou do STF seu papel de vanguarda neste momento histórico nacional”, disse.

O comitê municipal do PCdoB informou que apenas autorizou a pré-candidatura do engenheiro Fernando Freitas. De acordo com a resolução da 3ª reunião ordinária realizada dia 15 de janeiro, a pré-candidatuta terá como tarefas enfrentar o governo Bolsonaro e denunciar as consequências de suas políticas para as cidades brasileiras; fazer a crítica à gestão Álvaro Dias; e organizar o movimento 65 em Natal, buscando aglutinar pessoas interessadas em discutir a cidade que temos e a cidade que queremos, envolvendo questões relacionadas à Saúde, Educação, Segurança, Desenvolvimento Econômico, Geração de Emprego, Cultura. Meio-ambiente, Saneamento, Habitação, Transporte, entre outros temas.

A agência Saiba Mais tentou contato com Fernando Freitas por telefone, mas não conseguiu.

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"