Partidos de esquerda no RN investem em representatividade com fomento a candidaturas LGBTs
Natal, RN 22 de jun 2024

Partidos de esquerda no RN investem em representatividade com fomento a candidaturas LGBTs

6 de fevereiro de 2020
Partidos de esquerda no RN investem em representatividade com fomento a candidaturas LGBTs

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O histórico de luta LGBT no Brasil sempre foi muito intenso. De acordo com estudo global realizado pelo Institute of Labor Economics, os cargos de chefia para pessoas LGBT são escassos no mundo todo e a política brasileira não fica fora dessa estatística.

O caso do deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) mostra que além de ser difícil conquistar espaços de representação, também não é fácil permanecer. Ele era o único representante da diversidade LBGT na Câmara dos Deputados. Porém, no começo de 2019, desistiu do mandato e saiu do país com medo de ameaças, sendo foi substituído pelo suplente David Miranda, que também é LGBT.

Apesar das dificuldades, o número de candidaturas que representa essa população tem aumentado. Em 2018, segundo dados da Aliança Nacional LGBTI, 160 candidaturas disputaram a eleição, um aumento de 400% em relação a 2014.

O Brasil é um dos países que mais mata LGBTs no mundo e há necessidade de representantes na política para poder desenvolver projetos eficientes. No Rio Grande do Norte, alguns partidos vêm abrindo espaço par formação e incentivo de candidaturas que representem e defendam as pautas da diversidade de gênero, sexualidade e raça.

O PT é um deles, primeiro partido político a criar um núcleo de debate LBGT quando a pauta ainda não era central, nos anos 90. Dentro da sigla, cada estado e município se articula por meio de secretarias responsáveis pela pauta e por ações que debatam a conjuntura e as políticas públicas diretamente ligadas a vivência LBGT.

O Secretário LBGT do PT, Junior Florentino, explica que o partido criou resoluções que facilitam a permanência de LBGT na política. "No último congresso do partido, foi apresentada uma resolução que propôs que 5% das emendas de parlamentares petistas fossem voltadas para políticas LBGT. Além disso, as secretarias estaduais e municipais fazem o acompanhamento das demandas desse grupo, sempre propondo ideias e projetos que permitam mais de nós em todos os espaços", disse Florentino.

Durante o Festival Nacional PT 40 anos, será lançado o Projeto Nossas Cores, criado para subsidiar candidaturas LBGT, dada a aproximação das eleições municipais de 2020. O projeto tem como objetivo estimular essas candidaturas, dando suporte jurídico, contábil e auxilio na organização das campanhas. No RN, a previsão de lançamento da proposta é 13 de março.

De acordo com um levantamento feito pela Secretaria LBGT do PT-RN, já existem pelo menos pelo menos 11 pré-candidaturas que levantam a bandeira colorida em todo o estado. "Natal, Mossoró, Macau, Assu, Currais Novos e Campo Redondo são alguns dos municípios em que temos essas pré-candidaturas colocadas, o que mostra uma grande interiorização da luta pelos direitos da população LBGT. Essa eleição com certeza será um marco histórico pela nossa expressiva participação na disputa da sociedade", destaca ainda o Secretário.

O Mossoroense e estudante de Direito da UNP, Ítalo Araújo, é pré-candidato a Vereador de sua cidade. Com apenas 23 anos, ele conta que resolveu disponibilizar seu nome para tentar mudar a conjuntura de violência LBGT muito comum em Mossoró.

"Aqui em Mossoró são relatados casos de LGBTfobia em diversos espaços, nas ruas, nas escolas, em muitos lugares. É necessário que a gente se organize para debater a conjuntura, expor e dar visibilidade à luta que permeia nossa existência. A política é um espaço para defender nosso direito à vida, ao trabalho, à educação, a tudo", conta o pré-candidato.

Ítalo Araújo é pré-candidato a vereador de Mossoró

O PT realiza também, através da Fundação Perseu Abramo, cursos e formações abertos à filiados e não-filiados, um deles é o 'Cidadania LGBT e o respeito à diversidade', online, gratuito e com intuito de familiarizar candidatos e não candidatos com as lutas do grupo.

O fomento à conquista de espaços pelas ditas 'minorias sociais' tornou Victor Varela pré-candidato a vereador de Natal pelo PSOL. Militante da sigla socialista desde a adolescência, Victor conta que nunca tinha pensado em ser candidato.

"Eu nunca achei que um dia seria candidato, pensava que existiam outros espaços importantes de atuação política que eu poderia estar, mas não dá pra negar que existe a necessidade da representatividade LBGT e eu disponibilizei meu nome para essa tarefa, que é coletiva", destaca.

Nacionalmente, o PSOL é o partido que mais tem candidaturas e parlamentares assumidamente LBGT, como era o caso da ex-vereadora Marielle Franco e do atual deputado David Miranda. A única prefeitura que o PSOL dirige no Brasil fica em Jaçanã (RN) e o prefeito Othon Mário também é LGBT e vai concorrer à reeleição.

Candidato à reeleição, refeito de Jaçanã, Oton Mário (PSOL) também é LGBT

De acordo com Varela, o partido instituiu políticas internas que tornam prioridade as candidaturas de mulheres, LGBTs, negros e negras:

"Queremos trazer essa característica para o Rio Grande do Norte e para Natal, que apesar de ser uma cidade plural, ainda precisa avançar muito em políticas públicas não só para a população LGBT mas para trabalhadores e trabalhadoras, mulheres, negros e negras. Qualquer pessoa que seja candidato à um cargo público precisa se preocupar também com um conjunto de ataques que a cidade vem sofrendo, como é o caso do Plano Diretor", finalizou Varela.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.