Quase metade dos presos que participaram do Enem foram aprovados no RN
Natal, RN 22 de jun 2024

Quase metade dos presos que participaram do Enem foram aprovados no RN

10 de fevereiro de 2020
Quase metade dos presos que participaram do Enem foram aprovados no RN

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O Exame Nacional do Ensino Médio teve um sabor de recomeço para um grupo de aprovados. De acordo com a secretaria de Estado de Administração Penitenciária, 174 presos que fizeram o Enem atingiram os 450 pontos e não zeraram a redação, critérios para participar do Sistema de Seleção Unificada (Sisu).

O número corresponde a 47,5% dos 366 apenados que fizeram as provas em 15 unidades prisionais do Rio Grande do Norte.

O exame realizado pelos presos é semelhante ao tradicional, mas recebe o nome de Enem para Pessoas Privadas de Liberdade.

Os alunos responderam perguntas das disciplinas Linguagens, Códigos e suas Tecnologias; Matemática e suas Tecnologias; Ciências da Natureza e suas Tecnologias e Ciências Humanas e suas Tecnologias, além da Redação.

Os apenados já sentenciados têm o direito de se inscrever em cursos à distância como forma de reduzir a pena. Para cada três dias de trabalho ou estudo, conta um dia a menos na condenação.

A agência Saiba Mais solicitou o comparativo com anos anteriores e também os aprovados por unidade prisional. No entanto, a assessoria de comunicação da Seap informou que não dispunha dos dados.

Alguns presos foram além da aprovação no Enem. No presídio de Ceará-mirim, 11 presos também conseguiram, através do Programa Universidade para Todos (Prouni), bolsas integrais ou meia-bolsa para cursar graduação em alguma faculdade privada do Estado.

Coordenador pedagógico do Enem e chefe de disciplina da cadeia pública de Ceará-mirim, Walber Bruno da Silva Albuquerque comemora o resultado como orgulho:

- É motivo para comemorar na unidade, foi uma quantidade expressiva de alunos, 45% das pessoas que realizaram a prova. Nos surpreendemos, mas isso é fruto do trabalho de ressocialização da unidade. Ano passado conseguimos fazer alguns aulões aqui trazendo professores renomados da cidade, como Kokinho e outros, e mostramos o mínimo que a ressocialização pode fazer com o apenado”, contou.

Como o Sisu ainda não foi aberto, não é possível saber os cursos que os apenados irão realizar.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.