Toffoli asfixia sindicatos para forçar fim da greve que já conta com 20 mil petroleiros parados
Natal, RN 13 de jun 2024

Toffoli asfixia sindicatos para forçar fim da greve que já conta com 20 mil petroleiros parados

13 de fevereiro de 2020
Toffoli asfixia sindicatos para forçar fim da greve que já conta com 20 mil petroleiros parados

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

A greve dos funcionários da Petrobras iniciada em 1º de fevereiro sofreu um duro ataque nesta quarta-feira (12), quando o presidente do Supremo Tribunal Federal Dias Toffoli decidiu multar em R$ 32 milhões a Federação Única dos Petroleiros e nove sindicatos da categoria, incluindo o do Rio Grande do Norte. A pena havia sido aplicada pelo ministro do Tribunal Superior do Trabalho Ives Gandra da Silva Martins Filho, mas a seção Especializada em dissídios coletivos do TST anulara a sentença, por considerá-la exagerada.

A decisão de Toffoli atende a um pedido da Petrobras. A greve dos petroleiros já conta com a adesão de 108 unidades em 13 estados do país. De acordo com a FUP, mais de 20 mil trabalhadores estão parados.

Além da multa, o que dificulta ainda mais o trabalho de mobilização dos Sindicatos, Toffoli endossou a tese que limita a greve em apenas 10% da categoria

O movimento luta para reverter em nível nacional o desmonte da estatal e as demissões aproximadas de mil trabalhadores da Fábrica de Fertilizantes Araucária Nitrogenados, no Paraná.

Gás

Nesta sexta-feira (14), os petroleiros do Rio Grande do Norte venderão botijão de gás por R$ 40 em frente a sede do SindPetro-RN, na Cidade da Esperança. Ações semelhantes estão acontecendo no Amazonas, Pernambuco, Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul e Ceará. A iniciativa tem o objetivo de esclarecer a sociedade sobre os motivos da maior greve dos petroleiros desde a paralisação realizada em 1995, durante o governo Fernando Henrique Cardoso.

A pauta local inclui entre as reivindicações a retomada dos investimentos da Petrobras para recuperar a produção e a capacidade de refino de petróleo e gás no Rio Grande do Norte. O Estado potiguar, que já foi o segundo maior produtor de petróleo no Brasil e teve pico de 110 mil barris por dia, hoje produz em torno de 36 mil.

Os representantes dos trabalhadores da Petrobras foram ouvidos pelos líderes partidários e os presidentes da Câmara e do Senado durante reunião realizada na residência oficial da Presidência do Senado.

A Petrobras ficou de dar uma resposta aos presidentes da Câmara e do Senado, que solicitaram a retomada da mesa de negociação.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.