OPINIÃO

Três Papas. E um Lula.

A visita de Lula ao papa Francisco, na semana passada, gerou imensa repercussão nas redes sociais. Para a militância de Esquerda, mais um sinal inequívoco que o ex-presidente mantém peso geopolítico internacional. Para a Direita antiPT, mais uma prova que o atual papa é “comunista” e merece ser execrado.

Dias depois, uma sequência de fotos também causou ampla repercussão e colaborou com o debate (ou com a narrativa) do encontro. Na imagem, a primeira foto mostrava Lula, ainda líder sindical, recebido pelo papa João Paulo II, em 1980. A foto do meio, Lula já presidente em 2008 com o papa Bento 16. Por fim, a foto do encontro recente com o papa argentino Jorge Bergoglio.

A sequência de fotos tem forte poder argumentativo. Mostra Lula sendo recebido por um papa progressista (Francisco), por um assumidamente conservador (Bento) e por um que misturava as duas coisas, ou como diriam a Direita Liberal brasileira, era “conservador nos costumes e liberal na economia”, que era João Paulo, o polonês Wojtila.

Três papas portanto, no espaço de 40 anos, recebendo Luis Inácio da Silva. Mesmo quem detesta Lula e o PT e tenha vontade de usar os neurônios percebe que há uma importância e um significado nisso.

Como também há um significado sobre o impacto da visita de Lula ao papa em muita gente, católicos em especial e eu me estendi sobre isso nas minhas redes ao longo da semana.

Receber Lula não torna o Papa “comunista”. Uma pessoa, seja um líder religioso/chefe de estado ou o seu vizinho fazer algo que você não gosta, não torna a pessoa “comunista”. Comunista é quem estuda e quer implementar a doutrina político-econômica formatada por Marx.

Dividir os bens, partilhar a comida e se preocupar com os mais pobres não são coisa de “comunista”, mas ensinamentos de… Jesus Cristo, até onde me lembro.

Ah, e se a pessoa é católica e senta o sarrafo no Papa porque ele age de maneira que o fiel não gosta, então, tendo em vista que o Papa é escolhido por Deus através dos cardeais após oração, chegamos à conclusão que a pessoa não é realmente católica, posto que não segue uma doutrina básica. Ou é tão católica quanto Bergoglio é comunista, ou seja, nem um pouco.

Repetindo o raciocínio: Faz parte da doutrina católica a infabilidade papal e que ele é escolhido por deus através dos cardeais. Eu, Cefas, não acredito nisso, que para mim é tudo jogo político, mas CATÓLICOS ACREDITAM NISSO, OU DEVERIAM ACREDITAR PARA PODER SER CATÓLICOS. Dito isso. católicos que ridicularizam ações e ideias do Papa estão deixando claro que isso dos cardeais receberem iluminação divina para escolher o sumo pontífice é balela, besteira. Ou seja, são tão católicos quanto eu.

Evidente que trata-se aqui de raciocínios cartesianos. Se partirmos para o mundo irracional e agressivo que os direitistas bolsonaristas sempre querem levar as questões, não chegaremos a lugar algum, a não ser nas frases clichês e memes contra Francisco e Lula.

Mas, se o diálogo for com católicos que, sejam mais progressistas ou mais conservadores, não querem brigar contra os fatos, fato é que Lula – que inclusive se autodenomina católico desde sempre – foi recebido por papas de todas as vertentes ideológicas. Da mesma maneira que o próprio Francisco já recebeu – sem muita alegria é verdade, mas recebeu – o conservador, misógino, racista e homofóbico presidente dos EUA Donald Trump.

O que me fez até pensar se ele recebeu algum outro chefe de estado conservador, misógino, racista e homofóbico. Cartas para a redação.

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo