Isolda Dantas cobra responsabilidade do poder público no combate à violência contra a mulher
Natal, RN 21 de jun 2024

Isolda Dantas cobra responsabilidade do poder público no combate à violência contra a mulher

7 de março de 2020
Isolda Dantas cobra responsabilidade do poder público no combate à violência contra a mulher

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

A Assembleia Legislativa traduz na prática a desigualdade entre homens e mulheres na política. Das 24 cadeiras da Casa, apenas três são ocupadas por representantes do sexo feminino, o equivalente a 12,5% dos assentos. Numa delas está Isolda Dantas (PT), uma das nove parlamentares estreantes eleitas para o parlamento estadual em 2018.

Com o mandato voltado para a defesa especialmente da causa das mulheres, a deputada do PT realizou uma audiência pública na sexta-feira (6), em Mossoró, alusiva ao Dia Internacional das Mulheres, celebrado em 8 de março.

Elaborada com participação dos movimentos sociais, a audiência “A gente mete a colher: prevenção e enfrentamento à violência contra as mulheres”, Isolda chamou a atenção para o papel do poder público no combate à violência doméstica e familiar:

“A violência contra mulher é um retrato da extrema desigualdade que há na sociedade. É preciso que haja uma ação conjunta do poder público e sociedade civil para enfrentar este grave problema. As mulheres vítimas de violência precisam de atendimento e apoio. Precisamos de políticas públicas que deem conta disso!”, cobrou a petista.

Movimentos sociais e entidades civis participaram da audiência pública em Mossoró (foto: Ascom)

A deputada lembrou ainda do veto pela prefeitura de Mossoró a projetos importantes apresentados na Câmara Municipal relacionados ao combate à violência contra as mulheres, alguns deles da época em que Isolda Dantas era vereadora na cidade:

- Fica aqui nosso repúdio e nossa cobrança mais uma vez a Câmara Municipal e à prefeitura de Mossoró para que reconheçam os projetos apresentados aqui nesta Casa, seja do nosso mandato ou de outros vereadores, como a Casa abrigo, Rede de Apoio no combate à violência contra a Mulher, o Ronda Mulher, o Maria da Penha nas Escolas. Com a responsabilidade do poder público em união com a sociedade é que a gente pode combater a violência contra a mulher”, disse.

A audiência pública contou com a participação da Marcha Mundial das Mulheres (MMM), Grupo Mulheres em Ação (GMA), Secretaria de Estado de Mulheres, Juventude, Igualdade Racial e Direitos Humanos (SEMJIDH), Delegacia da Mulher de Mossoró, Vara da Violência doméstica, OAB-Mossoró e UERN. Estudantes da escola estadual Cunha Da Mota também prestigiaram o evento.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.