“São 15 semanas para mudar o Brasil”, diz Guedes a MBL e Vem pra Rua
Natal, RN 13 de jun 2024

“São 15 semanas para mudar o Brasil”, diz Guedes a MBL e Vem pra Rua

4 de março de 2020
“São 15 semanas para mudar o Brasil”, diz Guedes a MBL e Vem pra Rua

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Por Flávia Said, do Congresso em Foco

Em reunião com movimentos de rua alinhados à pauta liberal, o ministro da Economia, Paulo Guedes, fez um apelo por apoio à agenda de reformas do governo. O encontro ocorreu em almoço na casa do secretário de Desestatização, Desinvestimento e Mercados, Salim Mattar, em Brasília, nesta terça-feira (3).

Entre os temas da conversa estavam as reformas administrativa e tributária e as PECs do pacto federativo. Segundo informação revelada pelo BRPolítico, do Estadão, e confirmada pelo Congresso em Foco com uma fonte que estava na  reunião, o ministro apresentou um calendário das reformas e pediu para que os movimentos dessem sugestões e avaliassem o que podem fazer para apoiar a agenda econômica. Ao apresentar o cronograma de votação, o ministro disse que "são 15 semanas para mudar o Brasil".

O prazo dado pelo ministro gerou debates sobre qual a razão do prazo dado pelo ministro. Houve quem interpretasse o prazo como uma referência a um limite imposto pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Um deputado da base, ligado ao grupo de Guedes, acredita, entretanto, que o prazo é referente ao fim do primeiro semestre, já que no segundo semestre os congressistas devem voltar atenções às eleições municipais.

Estavam presentes representes do Movimento Brasil Livre (MBL), Brasil 200, Vem pra Rua, Aliança Brasil e outras organizações que dão sustentação à agenda econômica do governo.

A princípio, Guedes iria receber os representantes na sede do ministério, porém o encontro foi  cancelado ainda na noite de segunda-feira (2) e não foi informada nova data. Segundo assessores do ministro, o adiamento teria ocorrido porque os secretários José Barroso Tostes Neto (Receita Federal) e Paulo Uebel (Modernização do Estado) não se encontravam em Brasília. A ideia do encontro era apresentar a agenda de transformação do Estado da mesma forma que foi feito na tramitação da reforma da Previdência.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.