Bolsonaro demite Mandetta em meio à pandemia do Coronavírus
Natal, RN 25 de jun 2024

Bolsonaro demite Mandetta em meio à pandemia do Coronavírus

16 de abril de 2020
Bolsonaro demite Mandetta em meio à pandemia do Coronavírus

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O presidente Jair Bolsonaro (sem partida) decidiu trocar o comandante do barco no meio da tempestade. O ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta anunciou pelo twitter que foi demitido nesta quinta-feira (16) em meio à pandemia do novo Coronavírus:

- Acabo de ouvir do presidente Jair Bolsonaro o aviso da minha demissão do Ministério da Saúde. Quero agradecer a oportunidade que me foi dada, de ser gerente do nosso SUS, de pôr de pé o projeto de melhoria da saúde dos brasileiros e planejar o enfrentamento da pandemia do coronavírus, o grande desafio que o nosso sistema de saúde está por enfrenta. Agradeço a toda a equipe que esteve comigo no MS e desejo êxito ao meu sucessor no cargo de ministro da Saúde. Rogo a Deus e a Nossa Senhora Aparecida que abençoem muito o nosso país”, escreveu.

Segundo informações divulgadas pelo Uol, o oncologista Nelson Luiz Sperle Teich já aceitou o cargo e substituirá Mandetta. O novo ministro foi consultor da campanha presidente de Bolsonaro e já defendeu o isolamento social durante a quarentena.

Bolsonaro e Mandetta entraram em rota de colisão nas últimas semanas por tratarem a pandemia de foram diferente. O presidente sempre defendeu a flexibilização do isolamento social enquanto o agora ex-ministro é a favor de medidas mais restritivas para evitar a disseminação do vírus.

Foram vários os recados dados por Bolsonaro no sentido de que não estava gostando da postura do auxiliar e por pouco não o exonerou na semana passada. Na ocasião, o presidente do Senado Davi Alcolumbre, ministros do STF e parte da ala militar abancada no Governo Federal conseguiram demover Bolsonaro da ideia.

Bolsonaro e Mandetta chegaram a se reunir para colocar as divergências à limpo, mas a paz era só simbólica. Enquanto o ministro defendia medidas mais restritivas, como orientam as organizações de saúde, Bolsonaro seguia provocando aglomerações na rua e desdizendo o que pregava o auxiliar.

A entrevista dada por Luiz Henrique Mandetta ao programa Fantástico, no domingo, foi a gota d’água. O ex-ministro enfrentou Bolsonaro e disse que diante da falta de unidade no discurso do governo o cidadão não sabia se escutava o presidente ou se escutava o ministro da Saúde.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.