CIDADANIA

Governadores do Nordeste divulgam carta com críticas após Bolsonaro incentivar invasões a hospitais

Na última quinta (11), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) incentivou, durante live semanal, que seus apoiadores entrassem em hospitais e tirassem fotos de leitos vazios. As declarações geraram reações. Os governadores do Nordeste emitiram uma carta repudiando as falas do mandatário. Entre os chefes de Estados a subscrever o texto está a governadora do Rio Grande do Norte Fátima Bezerra (PT).

O documento é uma resposta ao que os gestores dos nove Estados consideram postura de negligência do presidente diante da pandemia de Covid-19 e da intensificação de perseguições aos governadores após ameaças políticas.

“Desde o início da pandemia, os governadores do Nordeste têm buscado atuação coordenada com o Governo Federal, tanto que, na época, solicitamos reunião com o Presidente da República, Jair Bolsonaro, que foi realizada no dia 23/03/2020, com escassos resultados. O Governo Federal adotou o negacionismo como prática permanente, e tem insistido em não reconhecer a grave crise sanitária enfrentada pelo Brasil, mesmo diante dos trágicos números registrados, que colocam o País como o segundo do mundo, com mais de 800 mil casos“, afirma a carta.

Em resposta às afirmações de ganhos políticos com as mortes pela Covid-19 e às operações da Polícia Federal (PF) para investigar supostas fraudes em compras de respiradores nos Estados, governadores criticaram a atuação e consideraram “estranhos os anúncios prévios” que geram uma inexistente responsabilidade penal objetiva contra os gestores.

“Tais operações produzem duas consequências imediatas. A primeira, uma retração nas equipes técnicas, que param todos os processos, o que pode complicar ainda mais o imprescindível combate à pandemia. O segundo, a condenação antecipada de gestores, punidos com espetáculos na porta de suas casas e das sedes dos governos”, afirmaram na carta.

Na carta, os gestores do Nordeste se colocam à disposição para “fornecer todos os processos administrativos para análise de qualquer órgão isento, no âmbito do Poder Judiciário e Tribunais de Contas. Mas repudiamos abusos e instrumentalização política das investigações”.

Leia também: Médicos e médicas pela democracia cobram de entidades da categoria reação às invasões de hospitais de campanha

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Previous ArticleNext Article