Governo do Estado quer incluir RN entre destinos turísticos LGBTQIA+ e inicia capacitação do setor
Natal, RN 25 de jul 2024

Governo do Estado quer incluir RN entre destinos turísticos LGBTQIA+ e inicia capacitação do setor

1 de dezembro de 2020
Governo do Estado quer incluir RN entre destinos turísticos LGBTQIA+ e inicia capacitação do setor

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Segundo a Organização Mundial do Turismo, o público LGBTQIA+ é responsável por 15% da  movimentação financeira no setor. Uma pesquisa realizada no primeiro semestre com pessoas LGBTQIA+ que moram no Brasil apontou que 64% dos entrevistados estavam dispostos a viajar pelo país mesmo durante a pandemia. Para fomentar o segmento e atender a demanda no Rio Grande do Norte, o Governo do Estado decidiu capacitar empresários da área. 

A iniciativa foi idealizada pela Empresa Potiguar de Promoção Turística (Emprotur), ligada a secretaria de Estado do Turismo, e conta com apoio da secretaria de Estado das Mulheres, da Juventude, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos (SEMJIDH),  além de diversas organizações.

O Governo quer incorporar o Rio Grande do Norte como destino LGBTQI+ do país. Para o diretor-executivo da Emprotur, Bruno Reis, a capacitação das pessoas que trabalham no setor faz parte dessa estratégia:

- Ter uma estratégia segmentada é um primeiro passo para que essa pauta seja devidamente incorporada na promoção do turismo do Estado. Outros segmentos e nichos prioritários, como sol e praia, ecoturismo e aventura, cultural, luxo, MICE, religioso, entre outros, serão trabalhados no curto prazo", ressaltou.

A ideia é promover, nos próximos dias, uma série de visitas a hotéis, pousadas, restaurantes e outras experiências turísticas com o diretor executivo comercial da Associação Internacional do Turismo LGBTQ+ e da Câmara de Comércio e Turismo LGBT no Brasil, Clovis Casemiro. 

O executivo comercial que representa o Brasil na Associação Internacional do Turismo LGBTQ+ (IGLTA) realiza um roteiro de 10 dias pelo Estado. A ação começou na terça-feira (1º) e será finalizada com um encontro presencial marcado para 7 de dezembro, às 16h, acontecerá no Hotel Pipa Atlântico, em Pipa. Na ocasião, Casemiro irá abordar o Turismo LGBTQ+, seu potencial de fluxo de turistas e geração de negócios.

Clovis tem experiências de trabalho com o escritório de Nova York para Embratur, além da passagem por empresas como Hotéis Othon, Rio Sheraton, Nacional Rio, Caesar Park Hotéis, Nobile Hotéis, Blue Tree Hotels, TAM Viagens e CVC Viagens.

Clovis Casemiro é diretor executivo comercial da Associação Internacional do Turismo LGBTQIA+ / foto: cedida

Essa primeira capacitação voltada para o segmento empresarial é uma espécie de ponto de partida para que outras ações sejam realizadas a partir de 2021, como participação do Rio Grande do Norte em feiras internacionais do segmento LGBTQIA+, além de eventos que vão de ações pontuais a grandes manifestações, a exemplo das paradas LGBTQIA+:

A Emprotur vem investindo em estratégias de turismo por segmentos, não só os segmentos como ecoturismo, praia/sol e religião, mas também reconhecendo na diversidade social e cultural do povo potiguar, suas populações e especificidades”, afirma a coordenadora da Diversidade Sexual e de Gênero da SEMJIDH, Janaína de Lima.

Lima explica que a proposta de capacitação vai abordar o acolhimento da população LGBTQIA+, com orientações para a não-discriminação e o tratamento correto, de acordo com a orientação sexual e da identidade de gênero dessas pessoas. 

Além disso, deve ser apresentada aos profissionais a legislação do Estado no que tange a proteção social desta população. “Reconhecer a população LGBTQIA+ como um público importante, nos faz pensar seu acolhimento e visibilidade em um dos eixos centrais de desenvolvimento do RN: o turismo”, finaliza.

Recentemente, a governadora Fátima Bezerra sancionou uma lei estadual que determina a afixação de cartazes em estabelecimentos comerciais informando que a discriminação por orientação sexual é crime tipificada no código penal.

Para Janaína Lima, é preciso pensar no acolhimento e visibilidade do público LGBTQIA+ / foto: acervo pessoal
Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.