DEMOCRACIA

Governadores assinam documento por pacto nacional no enfrentamento à crise sanitária

No momento em que o país vivencia o agravamento da crise sanitária no Brasil, atingindo mais um recorde no número de mortes em 24h, 2.286 vidas perdidas, governadores de 21 estados e do Distrito Federal lançaram nesta quarta-feira (10) uma carta aberta para pedir um “pacto nacional” sob a liderança do Congresso Nacional.

“Depois de um amplo debate com os presidentes do Senado e da Câmara, é uma proposta de união entre os 3 Poderes e as 3 esferas da Federação, para reforçar a luta contra a pandemia”, esclareceu a governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT).

Na avaliação da gestora estadual, “o pacto em defesa da vida já vivenciado no RN agora ganha ares nacionais. Essa ideia que tenho defendido desde o início, da importância de se deixar de lado quaisquer diferenças em prol da vida e dos interesses da população, agora se concretiza através da conclamação de todos”.

O documento divulgado nesta quarta pede a criação de um comitê gestor com a participação dos três poderes da República e especialistas com o objetivo de acelerar a vacinação e garantir a ampliação do sistema de saúde neste momento de agravamento da pandemia.

“Esse é o nosso respeitoso convite à Nação, acreditando que as Casas do Congresso Nacional, como instâncias de representação de toda a sociedade, podem ser as condutoras desse importante pacto”, aponta o documento, assinado até mesmo por governadores aliados ao presidente Jair Bolsonaro, a exemplo de Ronaldo Caiado (Goiás) e Romeu Zema (Minas Gerais). Só não assinam a carta os governadores do Amazonas, Paraná, Rio de Janeiro, Rondônia e Santa Catarina.

“Vamos seguir dialogando com os colegas que ainda faltam, para unidade nacional”, diz Wellington Dias, governador do Piauí e coordenador do tema de vacinas no Fórum Nacional dos Governadores.

Sem fazer menção ao Presidente da República, os governadores apostam num pacto nacional para a ampliação da imunização, o apoio a medidas preventivas e a abertura de novos leitos hospitalares.

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo