CIDADANIA

Senadores do RN apoiam CPI da Covid e acusam governo de praticar manobras

A abertura dos trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid no Senado, na terça-feira (27) provocou reação dos parlamentares do Rio Grande do Norte. O estado não conta com membros na investigação, mas os representantes avisam que estão atentos ao andamento da investigação e acusaram o governo de manobras.

“Manobras e trapaças não vão impedir o povo brasileiro de conhecer os responsáveis pelas mortes de quase 400 mil pessoas até agora. Omar Aziz [presidente], Randolfe Rodrigues [vice-presidente], Renan Calheiros [relator] irão garantir bons resultados desses trabalhos. O O Partido dos Trabalhadores está muito bem representado pelo senador Humerto Costa”, publicou o senador Jean Paul (PT) em redes sociais, avisando que vai se pronunciar e apresentar requerimentos ao relator sempre que necessário.

Para Jean, a CPI da Covid é de todos os brasileiros e “quem perdeu um amigo ou parente tem o direito de saber se, deliberadamente, medidas que poderiam ter salvado vidas foram postas de lado pelas autoridades por omissão ou erro”, ao completar que a investigação servirá ainda para corrigir políticas públicas de combate à pandemia.

O senador Styvenson Valentim (Podemos) também se referiu às tentativas de obstrução da investigação: “De todas as tentativas de barrar a CPI, nenhuma deu certo”.

Ele integra a Comissão Temporária da Covid-19. O grupo, presidido pelo senador Confúcio Moura (MDB-RO), monitora as políticas adotadas no controle da crise sanitária.

“Agora é investigar ações e omissões dos governos na pandemia. Eu assinei a CPI! E como vice-presidente da Comissão Temporária da Covid, que atua desde março no Senado Federal, sugeri que haja cooperação entre as 2 Comissões”, publicou.

A senadora Zenaide Maia (Republicanos) não se manifestou sobre a primeira reunião da CPI, mas tem cobrado medidas mais efetivas. “Falta vacina, falta kit intubação, falta oxigênio, falta estímulo às micro e pequenas empresas. Resultado: morte, fome e quebra da economia. Um país doente não se recupera economicamente”, disse na segunda-feira (26).

Na tentativa de tirar o foco do governo federal, Eduardo Girão (Podemos-CE), tentou abranger, por meio de requerimento, investigação de governadores e foi derrotado por oito votos a três.
Omar Aziz já adiantou que Mandetta, ministro na época que a pandemia começou, deve ser o primeiro a ser ouvido, já na próxima terça-feira (4).

Saiba quem são os membros da CPI da Covid:

Composição da CPI
– Bloco Unidos pelo Brasil, composto pelos partidos MDB, Progressistas e Republicanos: 3 titulares e 2 suplentes;
– Bloco Parlamentar, composto pelos partidos Podemos, PSDB e PSL: 2 titulares e 1 suplente;
– Partido PSD: 2 titulares e 1 suplente;
– Bloco Vanguarda, composto pelos partidos DEM, PL e PSC: 2 titulares e 1 suplente;
– Bloco da Resistência Democrática, composto pelos partidos PT e PROS: 1 titular e 1 suplente;
– Bloco Senado Independente, composto pelos partidos PDT, CIDADANIA, REDE e PSB: 1 titular e 1 suplente.

Titulares:
1. Omar Aziz (PSD-AM) – presidente
2. Renan Calheiros (MDB-AL) – relator
3. Randolfe Rodrigues (Rede-AP) – vice-presidente
4. Eduardo Braga (MDB-AM)
5. Otto Alencar (PSD-BA)
6. Tasso Jereissati (PSDB-CE)
7. Humberto Costa (PT-PE)
8. Ciro Nogueira (PP-PI)
9. Eduardo Girão (Podemos-CE)
10. Marcos Rogério (DEM-RO)
11. Jorginho Mello (PL-SC)

Suplentes:
1. Jader Barbalho (MDB-PA)
2. Angelo Coronel (PSD-BA)
3. Alessandro Vieira (Cidadania-ES)
4. Rogério Carvalho (PT-SE)
5. Marcos do Val (Pode-ES)
6. Zequinha Marinho (PSC-PA)
7. Luis Carlos Heinze (PP-RS)

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Isabela Santos é jornalista e repórter da agência Saiba Mais