CIDADANIA

Vacinação na Educação vai começar por trabalhadores que atuam com mais jovens; redes municipal e privada terão prioridade

O Ministério da Saúde divulgou nesta sexta-feira (28) a nota técnica que revela as prioridades entre os profissionais da Educação que começarão a ser vacinados. Pelo documento, os trabalhadores que atuam em creches, pré-escolas e ensino fundamental serão os primeiros a receber os imunizantes. A maioria dos profissionais deste segmento atua nas redes municipal e privada. Há, no entanto, trabalhadores da rede estadual que se encaixam nesse primeiro segmento.

Na sequência virão profissionais que atuam no ensino médio, profissionalizantes e EJA. Na lista de prioridades, os trabalhadores da educação do ensino superior serão os últimos.

A ideia, segundo a nota técnica, é priorizar os trabalhadores envolvidos na educação dos indivíduos mais jovens.

A justificativa para a antecipação da vacinação deste grupo diz respeito aos impactos sociais ocasionados pela covid-19 na educação infantil com a necessidade de volta às aulas presenciais.

– Estes impactos seguramente estão sendo mais importantes justamente nos grupos sociais menos favorecidos e que tem por exemplo dificuldade ou mesmo inviabilidade para uma adesão ao ensino a distância. Ressalta-se ainda que as creches e escolas contribuem não apenas para a educação, mas também para a segurança alimentar das crianças, cumprindo ainda outras atribuições sociais importantes. O ambiente escolar traz, no entanto, elevado risco de exposição a vírus respiratórios aos trabalhadores da educação tendo em vista que crianças são habitualmente peças chaves na transmissão destes vírus, o que justifica a vacinação deste grupo de trabalhadores”, diz um trecho da nota técnica.

Saiba Mais: Calendário de retorno às aulas presenciais na rede pública no RN será anunciado na próxima semana, diz secretário

 

 

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"