Defesa de Lula pede extensão da suspeição de Sérgio Moro aos demais processos julgados contra ex-presidente: “não dá pra pensar em juiz meio parcial”
Natal, RN 21 de jun 2024

Defesa de Lula pede extensão da suspeição de Sérgio Moro aos demais processos julgados contra ex-presidente: “não dá pra pensar em juiz meio parcial”

24 de junho de 2021
Defesa de Lula pede extensão da suspeição de Sérgio Moro aos demais processos julgados contra ex-presidente: “não dá pra pensar em juiz meio parcial”

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O advogado Cristiano Zanin, que defende o ex-presidente Lula, afirmou nesta quinta-feira (24) que já pediu ao Supremo Tribunal Federal a extensão da decisão que reconheceu a parcialidade do ex-juiz Sérgio Moro no processo do tríplex do Guarujá. Ele concedeu entrevista na manhã de hoje a TV Brasil 247.

A defesa do ex-presidente pleiteia que Moro seja considerado parcial também nos demais processos e investigações conduzidas pelo ex-magistrado contra Lula.

- É evidente que o ex-juiz Sérgio Moro é suspeito nos demais casos, não dá para pensar em juiz meio parcial”, afirmou.

Na quarta-feira (23), o STF concluiu o julgamento sobre a suspeição de Sérgio Moro. O ex-juiz foi declarado parcial por 7 votos a 4. A decisão, no entanto, é válida apenas para o processo envolvendo o tríplex do Guarujá, pelo qual Lula foi condenado ainda em 2018 e preso por 580 dias na carceragem da Polícia Federal, em Curitiba (PR).

Os sete votos pela manutenção da decisão da 2ª Turma, a favor da suspeição, foram dos ministros Gilmar Mendes, Nunes Marques, Alexandre de Moraes, Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski e das ministras Rosa Weber e Cármen Lúcia. Com a conclusão do voto de Marco Aurélio, que havia pedido vista dos autos, e do presidente da Corte, Luiz Fux, o julgamento foi concluído em 7 x 4. Os dois acompanharam o relator, Edson Fachin, assim como Luís Roberto Barroso.

 - Nosso pedido é para que estenda o reconhecimento da suspeição e as consequências jurídicas nos demais casos em processos e investigações envolvendo o ex-presidente Lula. Um juiz que ajuda a eleger um presidente da República e depois vai participar do governo é suspeito”, afirmou o advogado Cristiano Zannin.

Lava-jato

Sobre o resultado final do STF, o advogado de Lula lembrou os ataques que recebeu ao longo dos últimos cinco anos:

- Waleska (também advogada) e eu ficamos muito felizes com o reconhecimento da suspeição como defendemos por cinco anos. Sofremos toda a sorte de ataques pessoais, profissionais, e não foi fácil chegar nesse momento. Ataques da própria lava-jato que não aceitava que o ex-presidente lula tivesse advogado de defesa", disse.

Para Zanin, a força-tarefa da Lava-jato tentou implantar no país uma narrativa em que o advogado é um colaborador do acusado.

- Tentaram promover ataques baixos a mim e aos colegas do escritório. Conseguimos resistir e mostrar a Lava-jato que ainda é possível ser advogado no Brasil em toda essa situação. Não quero transformar esse resultado numa vitória pessoal, mas sim numa vitória do devido processo legal. É uma vitória da advocacia que precisa ser restabelecida em sua plenitude", disse.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.