Fábio Faria reclama de quem lamenta a morte de 500 mil pessoas por covid-19 no Brasil e gera revolta nas redes sociais
Natal, RN 19 de jun 2024

Fábio Faria reclama de quem lamenta a morte de 500 mil pessoas por covid-19 no Brasil e gera revolta nas redes sociais

20 de junho de 2021
Fábio Faria reclama de quem lamenta a morte de 500 mil pessoas por covid-19 no Brasil e gera revolta nas redes sociais

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O ministro das Comunicações e deputado federal licenciado Fábio Faria (PSD) reclamou no sábado das pessoas que lamentam a morte dos 500 mil brasileiros em decorrência da covid-19. Nessa mesma data, o país atingiu a marca de meio milhão de pessoas mortas pela doença.

Segundo ele, as pessoas que lamentam os mortos não celebram os pacientes curados.

A agressividade de Faria, que já anunciou a intenção de disputar uma vaga para o Senado Federal em 2022, provocou reações no Rio Grande do Norte e em outros estados.

O editor de Esportes do jornal O Globo Márvio dos Anjos ironizou a análise de Fábio Faria:

- E todos os outros prédios que ficaram de pé no 11 de setembro ? Ninguém fala nada”, indagou.

Jornalistas de outros veículos também repercutiram a postagem do potiguar. Apresentador do Foro de Terezina, o repórter e colunista da revista Piauí Fernando de Barros e Silva também criticou o post:

O jornalista Reinaldo Azevedo lembrou que o Brasil segue rumo à liderança dos óbitos:

- Não pensar o que ele (Fábio Faria) pensa é torcer pelo vírus. Observem que ele próprio não faz lamento nenhum. Estamos com apenas 12% de imunizados, rumo à liderança no ranking de mortos. Mas ele quer comemorar os curados. Casado com uma herdeira do SBT, que emprega artistas e jornalistas, não gosta de artistas e jornalistas. Nem de políticos. Suponho que as exceções sejam seu chefe da ora, seu pai, ele próprio e aliados de ocasião”, disse o jornalista, que ainda citou a relação de Faria e do pai, o ex-governador Robinson Faria, com Lula:

Em 2014, seu pai, Robinson, comia poeira na disputa pelo governo do Rio Grande do Norte. Pai e filho se colaram a Lula e a Dilma. Viraram o jogo. Pouco mais de um ano depois, Fábio já era defensor do impeachment. O beijo é a véspera do escorro. Se Lula vencer, ele se junta ou vai ser um dos líderes da extrema direita? Tenha a decência de ao menos lamentar os mortos, ministro!”, disse.

Médico potiguar cita opção do governo Bolsonaro pela imunidade de rebanho 

A agressão de Fábio Faria aos familiares e amigos dos mortos por covid-19 no país provocou reações no Rio Grande do Norte. O médico infectologista Alexandre Motta lembro que o governo Bolsonaro apostou na imunidade de rebanho:

Para a deputada Isolda Dantas, o ministro potiguar defende o indefensável:

- Pare de querer defender o indefensável e mais respeito a todas as vidas que foram perdidas por culpa da política de morte do seu presidente, ministro!", disse.

A deputada federal Natália Bonavides também reagiu:

- Meio milhão de mortos e o ministro da comunicação tá de reclamando de quem acha ruim ! É um cúmplice do genocídio. Da ala canalha do governo”, escreveu.

Colega de bancada, o deputado Rafael Motta (PSB) também saiu em defesa dos mortos e ainda disse que entre os mais de 6 mil mortos no Rio Grande do Norte podem estar eleitores de Faria:

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.