Itep recolhe DNA de parentes de desaparecidos no RN para banco de dados genéticos nacional
Natal, RN 22 de jun 2024

Itep recolhe DNA de parentes de desaparecidos no RN para banco de dados genéticos nacional

15 de junho de 2021
Itep recolhe DNA de parentes de desaparecidos no RN para banco de dados genéticos nacional

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Somente entre janeiro e abril de 2021, foi registrado o desaparecimento de 101 pessoas no Rio Grande do Norte. Foram 232 desaparecidos no estado em 2020, segundo dados da Coordenadoria de Informações Estatísticas e Análises Criminais (COINE). Para integrar o Banco Nacional de Perfis Genéticos (BNPG), o Instituto Técnico-Científico de Perícia do Rio Grande do Norte (Itep/RN) realiza, nesta quarta (16), o ‘Dia D’ da Campanha Nacional de Coleta de DNA de Familiares de Pessoas Desaparecidas, promovida pelo Ministério da Justiça e da Segurança Pública em conjunto com os Órgãos Oficiais de Perícia Criminal.

A coleta do material será feita na Escola do Governo, no Centro Administrativo, a partir das 8h desta quarta. No Itep existem, registradas e armazenadas, amostras biológicas de 238 cadáveres colhidas após exame antropólogo. Essas pessoas não foram identificadas ou reclamadas por familiares até o momento. O Núcleo de Antropologia Forense do Itep/ RN ficará responsável pelo levantamento dos dados antropométricos dos familiares e do Laboratório de Genética Forense, que realizará as coletas e o processamento das amostras de DNA que, posteriormente, serão comparadas com o material genético oriundo de restos mortais de cadáveres não identificados armazenados nos institutos médico-legais.

A coleta do material genético é voluntária e deve ser feita, preferencialmente, por familiares de 1° grau da pessoa desaparecida, seguindo a seguinte ordem de preferência: pai e mãe; filhos; irmãos. Para fazer a coleta, é preciso que o familiar do desaparecido tenha registrado oficialmente o boletim de ocorrência policial em qualquer delegacia (levar no dia da coleta). Além disso, é necessário levar documento de identificação com foto (RG, CNH) dos dois familiares selecionados para doar material biológico e/ou do responsável legal do doador menor de idade.

Já em relação à pessoa que está desaparecida, é preciso levar documentos de identificação como carteira de identidade, certidão de nascimento, carteira de trabalho ou carteira de reservista. Caso possível, a família deve levar itens de uso único e pessoal, como escova de dentes, barbeador, roupa íntima usada, escova de cabelo, entre outros objetos que possam conter material genético, além de foto digital ou impressa da pessoa desaparecida e informações sobre os trajes usados no dia do desaparecimento.

Em caso de dúvida, os parentes das vítimas desaparecidas podem escrever para o email: [email protected]

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.