CIDADANIA

Mães de alunos de CMEIs reclamam por não terem recebidos cestas básicas; Prefeitura divulgará calendário de entrega

A Prefeitura de Natal concluiu na quinta-feira (24) mais uma etapa da entrega da “Merenda no Lar”, programa que distribui cestas básicas a estudantes da rede municipal, já que estão sem aulas presenciais e sem merenda escolar. Mas as mães das crianças atendidas pelos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) reclamam por não terem recebido os alimentos. A Secretaria de Educação anunciou que o calendário será divulgado em breve.

Nas publicações feitas sobre o assunto nos perfis no Instagram da Prefeitura e da secretária municipal de Educação, Cristina Diniz, há muitos comentários discordando da organização da entrega.

“Pelo andar dessa carruagem, não vai chegar nunca essas cestas nos CMEIs, porque esse tempo todo ainda estão distribuindo nas escolas, como se as mães dos CMEIs não precisassem. Palhaçada já”, protestou Fernanda Beatriz.

“Uma vergonha!!! Se tivesse funcionando as escolas e CMEIs não seria por escala e sim todas ao mesmo tempo. A distribuição pode sim ser desta forma, é só questão de administração”, escreveu Daniele Costa.

Nesta semana, a Prefeitura chegou ao número de 41.716 cestas básicas entregues pelo programa, contemplando todas as 72 escolas de Ensino Fundamental da Rede Municipal, que oferecem do 1º ao 9º ano.

Kits de Alimentação Escolar

Os kits de alimentação escolar são elaborados de acordo com a Lei nº 13.987/2020, de 07 de abril de 2020, à qual modificou a Lei nº 11.947/2009, para permitir a entrega dos gêneros da alimentação escolar diretamente aos alunos, durante o período da situação de emergência no país. O objetivo é atender às necessidades nutricionais dos macronutrientes do estudante, com base nas recomendações do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).

De acordo com a Secretaria Municipal de Educação, as cestas foram elaboradas em quantitativo de gêneros alimentares e composição, conforme as demandas nutricionais por faixa etária e as novas resoluções do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

As cestas são equivalentes a 100 dias letivos, seguindo a determinação de no mínimo 20% das necessidades nutricionais diárias de crianças em idade escolar (PNAE) e 30% para crianças da educação infantil em período parcial (CMEI), conforme estabelecido pelos princípios e diretrizes nutricionais do PNAE.

Ainda de acordo com a SME, a cesta básica para as crianças dos CMEIs é composta por 11 itens, sendo 3kg de arroz parbolizado, 3kg de feijão carioca, 1kg de farinha de mandioca, 3 pacotes de macarrão espaguete, 3 pacotes de leite integral em pó instantâneo, 1 pacote de biscoito salgado integral, 1 pacote de biscoito doce, 3 pacotes de flocos de milho, 1 óleo de soja refinado, 1kg de sal refinado e 2 latas de sardinha em óleo comestível. Já para os alunos das escolas de Ensino Fundamental é acrescido 1kg de açúcar granulado e 1 rapadura natural em tablete. O valor unitário da primeira foi de R$ 105,49 e da cesta maior, R$ 115,01.

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Isabela Santos é jornalista e repórter da agência Saiba Mais