DEMOCRACIA

Bancada bolsonarista no RN não defende Presidente de denúncia de corrupção

Nenhum parlamentar potiguar da bancada bolsonarista veio a público – em suas redes sociais – defender o Governo e/ou o Presidente das acusações de pedido de propina em negociação de vacinas contra a Covid-19, detalhada em depoimentos na CPI que está em curso no Senado Federal Também não houve defesa sobre o super pedido de impeachment protocolado esta semana contra o Presidente. Os deputados do RN que são aliados de Bolsonaro falam sobre os mais diversos temas em suas redes sociais nos últimos dias, mas nenhum se pronunciou diretamente contra as denúncias de corrupção.

O que mais se aproxima do discurso do Governo é o General Girão (PSL) que, assim como o Presidente e os filhos, tentam criar cortinas de fumaça para desviar a atenção do assunto. O tema da vez é sobre voto impresso. Consulta feita no Twitter pela Agência Saiba Mais, às 9h30 desta sexta-feira (2), nos dois últimos dias o General havia feito 12 postagens e nenhuma apontava explicações sobre as denúncias de corrupção no governo federal.

Nas 12 postagens, ele lembrou de uma cirurgia que fez há dois anos, rezou pela saúde do Presidente Bolsonaro, atacou a governadora do RN, falou sobre CPI estadual e deu destaque para a cortina de fumaça do voto impresso, a atual principal bandeira de Bolsonaro. Sobre a CPI da Câmara Federal – Instituição que ele faz parte como deputado – duas postagens para descredenciar os trabalhos e chamar a investigação de circo e/ou vergonha.

No Instagram e Facebook, o parlamentar fez no período nove postagens, praticamente replicando os mesmos temas do Twitter. Sobre a CPI da Câmara Federal, a defesa não foi sobre as denúncias contra o Presidente, mas para que a investigação acabasse. Chegou a chamar a CPI de vergonha. A falta de coerência é que em uma outra postagem ele criticou o adiamento do início dos trabalhos da CPI estadual.

Os outros deputados que representam o governo Bolsonaro no RN silenciam completamente o assunto e não defendem o Presidente em suas redes sociais. Beto Rosado (PP), Carla Dickson (PROS), João Maia (PL) e Benes Leocádio (Republicanos) não fizeram qualquer referência ao Presidente ou, sequer, às investigações e denúncias em curso. Há dois dias Beto Rosado não se pronuncia no Twitter. No Instagram e Facebook, as últimas postagens são sobre obras de pavimentação em Mossoró, hospital de Apodi e vacinação.

No Twitter, Carla Dickson se pronuncia sobre Agosto Lilás e sobre ‘coordenar os cultos da FPMMulher” na Câmara dos Deputados. No Instagram e Facebook as pautas são as mesmas e nada de explicação ou defesa do Presidente.

João Maia desde 2016 não atualiza a página no Twitter e Benes Leocádio está sem postar desde o início de junho deste ano. No Instagram e Facebook, João Maia fez apenas duas postagens nos últimos quatro dias, anunciando uma audiência pública sobre um projeto de Lei e mostrando que recebeu a segunda dose da vacina. Bénes aparece nas duas redes mostrando projeto de perfuração de poços e um discursos sobre o efetivo da Polícia Civil do RN. Nenhuma palavra dos dois sobre a defesa do Presidente.

Ministros têm posturas opostas
Quando o assunto é defender o mandato do chefe, os dois ministros potiguares do Governo Bolsonaro atuam de forma opostas nas redes sociais. Fábio Faria (Ministro das Comunicações), desde o primeiro momento, se pronunciou sobre as denúncias com uma sequência de seis tweets. Ele, inclusive, anuncia a exoneração do servidor apontado como o negociador da propina. Essa defesa, também foi postada no Instagram, mas não no Facebook.

Já Rogério Marinho (Ministro do Desenvolvimento Regional), em suas redes sociais, praticamente faz um governo paralelo e aparece em seus perfis como o personagem central do trabalho do Ministério da Integração Nacional. Ele até cita o presidente nos textos, mas as imagens (fotos e vídeos) colocam ele sempre em evidência. A última postagem com imagens do presidente Bolsonaro ocorreu quando da visita que fizeram ao RN e foi colocada nas redes dia 27/06. Rogério tenta articular candidatura para disputar uma vaga no senado federal ou o Governo do RN. Nessa disputa, tem como adversário Fábio Faria, que também tenta emplacar o nome.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo