TRANSPARÊNCIA

Comitê fará ranking de municípios potiguares que mais sofrem com os efeitos da seca

Dos 43 açudes e reservatórios do Estado, 32 estão secos ou em volume morto

O Governo do Estado criou nesta sexta-feira (30) o Comitê Integrado para Convivência com o Semiárido e Mitigação aos efeitos da estiagem. A equipe terá integrantes de 15 instituições da administração estadual, sociedade civil organizada e de setores produtivos do RN.

Um dos objetivo do grupo (que não receberá remuneração) será o de formular, com base em critérios técnicos (desvio médio da precipitação, rebanho bovino, caprino e ovino, entre outros), um ranking dos municípios mais atingidos pela estiagem. Esse ranking deve orientar a ação do poder público.

Pelo decreto, publicado no Diário Oficial do Estado e assinado pela governadora Fátima Bezerra (PT-RN), o comitê tem como objetivo, também, apresentar um plano de ação integrado para mitigação aos efeitos da estiagem, contendo iniciativas emergenciais e estruturantes; acompanhar, fiscalizar e avaliar a prestação da assistência oferecida às populações atingidas pela estiagem e articular-se e propor ações conjuntas com órgãos Federais e municipais envolvidos nas ações de mitigação dos efeitos da estiagem no RN.

Mais da metade dos municípios do RN já está em seca
Levantamento divulgado em junho deste anos e feito por pesquisadores da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN), com base nos dados do Monitor das Secas, apontou que 80 municípios do RN se encontram em situação de seca fraca ou moderada ao final do período chuvoso. Comparando com o mesmo período de 2020, houve uma piora nas condições de seca no estado.

De acordo com os dados de arquivo da Emparn, nesse mesmo período do ano passado nenhum dos 167 municípios potiguares se encontrava em situação de seca moderada ou grave.

Governo afirma que fará nova política para combater efeitos da estiagem
Há uma semana, quando anunciou a criação do comitê, Fátima Bezerra disse ainda que a proposta é trabalhar em conjunto com as prefeituras e governo federal.

Para o secretário estadual Alexandre Lima, do Desenvolvimento Rural e da Agricultura Familiar (Sedraf), a nova política adotada pelo governo do Estado “representa um novo marco para Semiárido potiguar. Antes prevaleciam medidas pontuais, mas agora – reforçou ele – o governo se volta para ações de convivência, preparando o agricultor, o produtor rural para enfrentar esses eventos climáticos”.

“O Rio Grande do Norte está fazendo o seu dever de casa, e muito bem, mas é preciso que a bancada federal lembre ao presidente da República que há seca no Nordeste, que é preciso salvar o rebanho, ter crédito apropriado para a seca”, cobrou o secretário estadual da Agricultura, da Pecuária e da Pesca (Sape), Guilherme Saldanha.

O comitê será formado por representantes do Gabinete Civil do Governo do Estado, Secretaria de Agricultura, Secretaria da Agricultura Familiar, Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Secretaria de Gestão, Metas e Relações Institucionais, IGARN, Emparn, Anorc, Fetarn, FAERN, Fetraf, MST, Marcha das Mulheres, Agência de Fomento do Rio Grande do Norte, Igreja católica. Os trabalhos serão coordenados pela Sedraf e Sape.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo