Famílias sem teto ocupam terreno abandonado no Planalto durante a madrugada desta segunda (5)
Natal, RN 22 de mai 2024

Famílias sem teto ocupam terreno abandonado no Planalto durante a madrugada desta segunda (5)

5 de julho de 2021
Famílias sem teto ocupam terreno abandonado no Planalto durante a madrugada desta segunda (5)

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Um grupo de, aproximadamente, 200 famílias ocupou um terreno baldio com mato, lixo e entulhos, que pertence à prefeitura de Natal, mas estava abandonado há cerca de oito anos, no bairro do Planalto, na Zona Oeste de Natal, na madrugada desta segunda (5).

A ocupação foi organizada pelo Movimento de Luta nos Bairros Vilas e Favelas (MLB). Outras sete famílias independentes já haviam morado nesse mesmo espaço durante cerca de sete anos, quando foi formada a Comunidade Monte Celeste. Mas, o grupo conquistou a casa própria no condomínio Vivendas do Planalto, quando a Prefeitura da capital chegou a afirmar que faria uma lagoa de captação no local, o que até hoje não aconteceu.

De acordo com a Coordenação do MLB, as famílias que ocupam o terreno atualmente são de diferentes bairros da zona oeste da capital potiguar, como o Leningrado, Guarapes e Planalto. Regiões que se caracterizam pela população numerosa e de baixa renda.

“São famílias que moravam de aluguel ou em casa de parentes e decidiram ocupar o terreno e reivindicar a construção de novos conjuntos habitacionais e seu direito a uma moradia digna”, aponta Matheus Araújo, Coordenador do MLB.

Foto: Luisa Medeiros

A Ocupação ganhou o nome de Valdete Guerra, uma das principais lideranças do MLB no Rio Grande do Norte. Ela liderou a Ocupação Leningrado e diversas outras que conquistaram sua moradia. Em agosto, completa-se dez anos de sua morte, causada por um câncer. Pelo levantamento do MLB, o programa Minha Casa, Minha Vida tinha antes da pandemia, somente em Natal, 90 mil pessoas cadastradas. No entanto, para 2021, a estimativa é que apenas 100 casas sejam construídas. Entram no Programa, famílias que usam mais de 30% de sua renda para pagar aluguel.

Foto: Luisa Medeiros

A pandemia fez com que muitas pessoas ficassem desempregadas, então o aluguel aumenta, o desemprego cresce, a carestia aumenta, assim como o custo de vida das pessoas. Acaba que fica como única alternativa pra essas famílias participar do movimento e fazer essas ocupações urbanas. Queremos saber da Prefeitura de Natal e do Governo do Estado se existe ou não condições da construção de um novo projeto habitacional na cidade porque com o corte do Minha Casa, Minha Vida, que foi substituído por um outro projeto chamado Pró Moradia, Natal vai construir apenas 100 casas em 2021, unidades para as quais já há famílias predestinadas. Ou seja, de um déficit habitacional de 90 mil moradias, Natal vai se resumir a construir 100 em 2021. Uma porcentagem minúscula que não chega nem perto de resolver o problema da falta de moradia na cidade”, critica Matheus.

De acordo com a Companhia Estadual de Habitação e Desenvolvimento Urbano (Cehabe/ RN), o Pró-Moradia é um programa estadual e não substituiu o Minha Casa, Minha. No caso do Pró-Moradia, as famílias beneficiadas ganham as casas. Ao longo do programa, que foi retomado depois de 12 anos parado, devem ser construídas 765 unidades habitacionais em todo o Rio Grande do Norte. A estimativa da Cehab é que o RN tenha um déficit habitacional de 137 mil moradias.

Na manhã desta segunda, a Polícia Militar já esteve na Ocupação, que fica na Rua Paulo Freire, no Planalto, e conversou com alguns moradores. A Prefeitura de Natal, por enquanto, não entrou em contato com a coordenação da Ocupação.

Imagens da Ocupação Valdete Guerra I Foto: Luisa Medeiros

Outras ocupações

Somente em Natal, o MLB já realizou mais de 16 ocupações, sendo que duas estão em atividade no momento em Natal: a Valdete Guerra, no Planalto, e a Emmanuel Bezerra, no bairro da Ribeira.

Em outubro de 2020, 60 famílias iniciaram a Ocupação Emmanuel Bezerra em um prédio abandonado da antiga Faculdade de Direito da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Mas, por causa do risco de desabamento da estrutura do prédio e depois de muita negociação, o grupo foi transferido para um galpão no mesmo bairro da Ribeira.

Recentemente, 16 famílias da Ocupação Pedro Melo receberam unidades habitacionais no condomínio Village de Prata, também no Planalto, onde se encontra a Ocupação Valdete Guerra. Presente em mais de 20 estados com ocupações urbanas, o MLB já conseguiu mais de três mil moradias no Rio Grande do Norte desde o início de sua atuação.

Foto: Luisa Medeiros

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.