A foto de Lula que sacudiu o Brasil​​
Natal, RN 30 de mai 2024

A foto de Lula que sacudiu o Brasil​​

23 de agosto de 2021
A foto de Lula que sacudiu o Brasil​​

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

“Boa noite com essa lua cheia no Ceará!”. Com essa legenda, Rosângela da Silva, a Janja, postou uma foto (clique de Ricardo Stuckert) no seu perfil do Twitter com o namorado, ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Com milhares de curtidas e retuítes, a postagem fez o nome da namorada de Lula ficar nos trending topics no começo da segunda e acabou sendo a pauta política da internet, por incrível que pareça.

​Em um país malicioso por natureza como o Brasil, mais que a alegria e o bronze do casal e a lua cheia, o que chamou a atenção dos internautas foi a forma física das pernas do ex-presidente e a sunga utilizada para compor o, digamos, look praiano.

Essa combinação de fatores levou usuários das redes sociais e também políticos e jornalistas a tecerem tanto elogios a Lula como alfinetadas em outros políticos e fazer dezenas de memes. Claro que a maior vítima foi o despresidente Bolsonaro, com quem Lula polariza politicamente e civilizatoriamente, digamos. Claro que muitos dos memes e comentários mostram que realmente o Brasil está precisando coletivamente de um divã e que muitos de nós ainda continuamos na quinta série, como se diz.

Mas, analisemos com mais calma e também mais carinho a comoção gerada pela foto. Trata-se da foto do candidato a presidente que vem liderando as pesquisas, portanto potenciais presidente da República e primeira dama do país na imagem. Contudo, lembremos que quando presidente, ainda com dona Marisa viva, centenas de outras fotos mostravam Lula em momentos alegres e descontraídos: jogando futebol, celebrando churrascos, tomando banho de mar, segurando netos, beijando filhos, abraçando amigos, fingindo que tocava guitarra, segurando caixa de isopor com cerveja, e tantas e tantas outras.

Eram fotos espontâneas, de um homem que não obstante o cargo e a responsabilidade se permitia relaxar com cerveja e churrasco, como tantos de nós aqui. Enfim , gente como a gente.

E a foto de Lula e Janja alegres e abraçados evocou na psique coletiva esses tempos. Nos tempos atuais, temos um ocupante da cadeira de presidente que parece não se divertir, a não ser quando conta piadas agredindo ou ofendendo alguém. Que não tem momentos de descontração a não ser em companhia de outros homens exibindo uma masculinidade tóxica, refletida no uso de armas explícito ou simbólico (a arminha na mão).

Quem lembrar aqui uma foto de Bolsonaro em um fim de semana, um feriado, em um momento sereno, descontraído, com família com com Michelle e filha, que não seja em situação oficial ou formal e que não seja na companhia dos bolsofilhos em tensão ou de agregados como o Hélio "Negão", me envie por favor, que eu aqui no momento em que escrevo essas linhas, não consigo recordar.

Ainda na campanha eleitoral de 2018 escrevi aqui neste espaço que o bolsonarismo tratava as mulheres como os fundamentalistas islâmicos; com certo desprezo e distância, as limitando às "funções de mulher" tanto que à época nem sabíamos nome e aparência de Michelle assim como pouco ou nada sabemos das "conjes" de Eduardo e Flávio. No bolsonarismo, as mulheres estão sempre em segundo plano, a não ser quando servem para os propósitos políticos do grupo, como Damares, Carla Zambelli e Bia Kicis.

A foto de Lula e Janja teve essa função múltipla, de nos lembrar que um político, um presidente pode e deve ser feliz com sua cara metade e posar de casalzinho nas redes sociais. Como nos lembrou de uma época em que todos nós parecíamos mais felizes, com condições de encher o tanque, de comprar picanha para o churrasco do domingão.

Uma imagem que também serviu para parte da militância de Esquerda - muitas mulheres inclusive - pegarem pesado no calcanhar de Aquiles do bolsonarismo: a masculinidade. Na verdade, a masculinidade tóxica "vendida" pelo bolsonarismo, com profusão de armas, motos, símbolos fálicos e as bravatas do despresidente que é "imbrochável e incomível" cada vez mais deixa sua máscara cair, com os "machões" que ameaçam fechar STF e depois recuam, com o pessoal que diz que bota para quebrar mas foge de debates, de confrontos.

A foto de Lula colocou a masculinidade brasileira no patamar de que ser macho de verdade é bater foto abraçado com a namorada. Sim, é um debate bem raso e bem quinta série, como já advertimos no início, mas, a preço de hoje, não deixa de ser uma delícia confrontar o bolsonarismo com as próprias armas deles e com um tópico que eles tem como tão importante.

Sim, em um país com inflação, preços em alta, crise econômica, tensão política, pandemia, passar um dia inteiro discutindo as pernas e a sunga do ex-presidente de 75 anos parece um absurdo, uma distopia. Mas, também mostra o quanto estamos todos querendo mais leveza e virar a página desses tempos sombrios. Tudo é muito mais, como cantava Caetano. A foto de Lula e Janja também é muito mais do que parece ser.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.