Ex-líder do governo Rosalba diz que auditoria da Arena das Dunas é política e pede que CPI não antecipe condenações de investigados
Natal, RN 26 de mai 2024

Ex-líder do governo Rosalba diz que auditoria da Arena das Dunas é política e pede que CPI não antecipe condenações de investigados

18 de agosto de 2021
Ex-líder do governo Rosalba diz que auditoria da Arena das Dunas é política e pede que CPI não antecipe condenações de investigados

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

O deputado Getúlio Rêgo (DEM), ex-líder do governo Rosalba na época da Arena das Dunas, afirmou que as duas auditorias realizadas pelo corpo técnico da controladoria-geral do Estado são políticas. Ele criticou os relatórios e, especialmente, o acompanhamento dos trabalhos feito pelo ex-deputado Sandro Pimentel (PSOL), autor do pedido de auditoria e também da instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito na Assembleia Legislativa sobre os contratos da Arena.

Rêgo e Pimentel são inimigos políticos, conforme o ex-deputado do PSOL revelou à agência Saiba Mais em entrevista no dia 16 de janeiro de 2020.

Questionado se sentiu constrangimento, como líder do governo Rosalba, diante das informações reveladas pelas auditorias da controladoria-geral do Estado sobre problemas no contrato, inclusive com o pagamento a mais à empresa pelo Governo do Estado, ele disse que não:

 - Esse trabalho da controladoria é incompatível com a realidade da gestão da Arena das Dunas. É um relatório feito com viés político com participação de um membro da Assembleia Legislativa, o que é uma coisa lamentável. Se há irregularidade no processo de pagamento na parceria de gestão que se vá a Justiça, como o TCE está investigando”, afirmou.

Getúlio Rêgo não é membro da CPI, mas acompanhou terça-feira (18), como convidado, o depoimento do controlador-geral do Estado Pedro Lopes. O titular da Control negou que Sandro Pimentel tenha tido qualquer participação técnica nas investigações feitas pelo órgão. Como foi o ex-deputado que solicitou a auditoria, um servidor do mandato dele foi designado para acompanhar, a cada dois meses, o andamento do processo.

Controlador-geral do Estado Pedro Lopes prestou depoimento na CPI e detalhou os resultados das auditorias do órgão / foto: João Gilberto

 Apesar das críticas, o ex-líder do governo Rosalba disse que não pretende pedir a nulidade da CPI.

 - Não há de nossa parte qualquer intenção de pedir nulidade, não sou membro da CPI. Sou deputado visitante porque acompanhei processo de construção da Arena das Dunas”, disse.

Outro fato que chamou a atenção foi o pedido feito por Getúlio Rêgo para que a CPI não exponha nomes de ex-gestores que não foram condenados pela Justiça. Durante os esclarecimentos no depoimento à comissão, o controlador Pedro Lopes citou o nome do ex-secretário da Secopa Demétrio Torres, que responde hoje a um processo de improbidade administrativa por mudar, através de um ofício, a cláusula do contrato que previa a divisão igual entre as partes das receitas obtidas pela empresa com serviços de publicidade, aluguel de espaço, vendas de ingressos, entre outros.

O contrato prevê a repartição das receitas líquidas, mas a alteração no documento abriu uma brecha para que a empresa repasse o que o Estado tem por direito a partir do lucro líquido. A mudança, segundo auditoria da Control, fez o Governo do Rio Grande do Norte perder R$ 16 milhões até outubro de 2019, quando o problema foi detectado e corrido.

- Aguardemos as manifestações dos órgãos de controle, que se preserve a identidade das pessoas para que não possamos execrá-las diante de eventuais suposições que não dizem respeito à condição de cidadão”, disse o parlamentar enfatizando a defesa do ex-secretário da Secopa e amigo pessoal dele:

- Quantas vezes já vimos histórias de pessoas investigadas serem absolvidas, pessoas que chegaram a ser presas, confinadas e depois absolvidas. Acho inoportuno falar do processo de investigação do doutor Demétrio Torres. O conheço pessoalmente e sei da sua atuação como cidadão”, afirmou.

 Líder do PT diz que CPI não busca vingança e ironiza: “pensei que o deputado Getúlio tivesse se referindo a Lula”

Deputada Isolda Dantas (PT) é relatora da CPI e líder do PT na Assembleia Legislativa / foto: João Gilberto

A deputada estadual Isolda Dantas (PT) afirmou que parlamentares ligados à ex-governadora Rosalba Ciarlini (PP) podem ficar tranquilos porque a CPI não promoverá uma “caça às bruxas”.

Relatora da CPI da Arena das Dunas, ela disse que o objetivo é investigar o contrato e lembrou que a comissão não inaugura nenhuma investigação sobre os contratos, alvo até de operações da Polícia Federal.

- Nesta comissão, em nenhum momento, as pessoas que estão sendo investigadas são culpadas. Todo mundo sabe das divergências que tenho com o presidente da CPI coronel Azevedo, mas tenho testemunhado como tem sido cuidadosa, desde o primeiro momento, a atuação dele nesse sentido. Agora essa comissão não traz nenhuma novidade, não inaugura investigação nenhuma. Todo mundo conhece operação Mão na bola do Ministério Público Federal. Todo mundo lembro das manchetes de televisão acompanhando indícios de corrupção com busca e apreensão feitas na casa da ex-governadora Rosalba Ciarlini acerca da construção da Arena das Dunas. Então vamos afastar, de forma antecipada, que essa comissão está antecipando julgamento. Minha posição de relatora não é de vingança política. não uso meus lugares para fazer vingança”, afirmou.

Após a sessão, em entrevista à agência Saiba Mais, Isolda Dantas que também é líder do PT na Casa disse que achou que Getúlio Rêgo estivesse se referindo ao ex-presidente Lula, quando o ex-líder do governo Rosalba criticou a execração pública de investigados que, ao final dos processos judiciais, acabam sendo absolvidos.

- Eu achei que ele estava falando de Lula. O deputado foi trazendo dados e informações que uma hora eu pensei: “ele vai falar de Lula ! ele vai falar de Lula !” Só faltou ele falar de Lula porque todos os elementos que ele deu eram do caso do ex-presidente”, disse.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.