Moradores de Mãe Luíza recusam fechamento de escola e pedem encontro com Governadora e Ministério Público
Natal, RN 28 de mai 2024

Moradores de Mãe Luíza recusam fechamento de escola e pedem encontro com Governadora e Ministério Público

5 de agosto de 2021
Moradores de Mãe Luíza recusam fechamento de escola e pedem encontro com Governadora e Ministério Público

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Apesar de fechada desde o início da pandemia do novo coronavírus, as portas da Escola Estadual Monsenhor Alfredo Pegado, em Mãe Luíza, foram reabertas nessa última terça (3) para receber pais, professores, gestores, lideranças comunitárias e moradores, que discutiram o possível fechamento da unidade de ensino.

O grupo é contra o encerramento das atividades na escola, a mais antiga do bairro. Eles contam que a unidade vem sofrendo com a diminuição de turmas e profissionais nos últimos anos, além da deterioração de sua estrutura física. Outro crítica apresentada na reunião foi ao fato de, durante esse último um ano e meio em que permaneceu fechada por causa da covid-19, a unidade não ter passado por qualquer reforma ou readequação para receber os alunos em seu retorno presencial. Durante o encontro, também foi lembrado que a Promotoria de Educação já estaria consciente da situação da escola desde 2017.

Além da reunião da última terça, moradores e gestores têm um encontro agendado com a governadora Fátima Bezerra (PT) na próxima semana. O grupo, também vai discutir a questão com o Ministério Público e volta a se reunir em um novo encontro na próxima terça (10).

A comunidade rechaçou o fechamento, ela quer uma reforma moderna na escola”, conta Leonardo Sinedino, diretor da Escola Estadual Monsenhor Alfredo Pegado, sobre a reunião realizada na quadra da unidade de ensino.

Foto: cedida

Entenda o caso

A Escola Estadual Monsenhor Alfredo Pegado, unidade de ensino mais antiga do bairro de Mãe Luíza, pode ser fechada à pedido do Ministério Público do Rio Grande do Norte. O diretor já foi notificado na última quarta (28) para que a unidade seja desativada de forma imediata e os alunos, transferidos para a Escola Dinarte Mariz, que fica no mesmo bairro. O motivo seriam problemas estruturais da unidade de ensino.

O Ministério Público, no entanto, por meio de sua assessoria de imprensa, negou o pedido de fechamento da escola e garantiu que na Ação Civil Pública que tem a Secretaria Estadual de Educação como ré, está prevista apenas a transferência temporária dos estudantes e professores para a Escola Dinarte Mariz.

As escolas da rede estadual e municipal de ensino estavam fechadas desde março de 2020 por causa da pandemia do novo coronavírus. Período utilizado por algumas unidades para a realização de reformas e adaptações para o retorno presencial. A Escola Estadual Monsenhor Alfredo Pegado manteve aulas virtuais durante toda a pandemia da covid-19, mas ainda não retornou às atividades presenciais porque a unidade não passou pelas adequações necessárias previstas no protocolo sanitário de biossegurança em prevenção à covid-19 definido pelo próprio Governo do Estado. Mãe Luíza tem cinco escolas públicas, quatro da rede estadual e uma do município, que atende a um total de 22 mil estudantes que, diante da falta de vagas, precisam se deslocar a outros bairros para estudar.

Escola Estadual Monsenhor Alfredo Pegado, em Mãe Luíza

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.