“Não dá para falar em continuidade do Bolsa Família: o Auxílio Brasil é um grande retrocesso”, critica Íris Oliveira
Natal, RN 24 de mai 2024

"Não dá para falar em continuidade do Bolsa Família: o Auxílio Brasil é um grande retrocesso", critica Íris Oliveira

13 de agosto de 2021

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Para a secretária de Estado de Trabalho, Habitação e Ação Social Íris Oliveira, o Auxílio Brasil, anunciado pelo governo Bolsonaro em substituição ao programa Bolsa Família, é um “grande retrocesso”.

A titular da Sethas e professora do Departamento de Serviço Social da UFRN foi a entrevistada especial de quinta-feira (12) no Balbúrdia, o programa da agência Saiba Mais no Youtube:

- Esse auxílio que vem aí nessa Medida Provisória não guarda nada ou muito pouco do Bolsa Família. Você acaba com um programa de transferência de renda e troca por um ajuntamento de benefícios. Não dá pra falar de uma continuidade ou modernização do Bolsa Família. Você tem uma desfiguração completa. Do ponto de vista conceitual e de concepção, o Auxílio Brasil é um grande retrocesso”, destacou.

Iris disse ainda que há muita desinformação sobre esse “novo benefício”. E critica exigências já divulgadas, como a obrigatoriedade de emprego formal para acessar o auxílio:

- O Bolsa Família não condiciona acesso ao benefício ao desempenho. E numa sociedade onde o emprego formal nunca se generalizou e com uma população economicamente ativa fora do mercado formal de trabalho, exigir emprego formal para ter algum benefício é absurdo”, opinou.

Sobre o mapa do Bolsa Família no país, a secretaria da Sethas criticou a discriminação do Governo Bolsonaro com o Norte e Nordeste em relação ao acesso ao benefício. Segundo ela, embora mais de 50% dos beneficiários sejam dessas duas regiões, apenas 6% dos recursos do programa são destinados a elas.

- As regiões Sul e Sudeste ficam com a maior parte dos recursos”, disse.

A secretária Íris Oliveira também falou sobre as ações do governo Fátima na área de ação social, em especial ao programa RN Acolhe, que vai destinar R$ 500 aos órfãos da pandemia. A iniciativa foi idealizada na câmara temática de assistência social do Consórcio Nordeste, presidida pela governadora Fátima Bezerra.

Assista na íntegra a entrevista completa da secretária da Sethas Íris Oliveira:

https://www.youtube.com/watch?v=_H4w377LrY8
Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.