CIDADANIA

Vigilante que sacou arma para mulheres em manifestação contra feminicídio será indiciado por porte ilegal de arma e ameaça

A Polícia civil confirmou neste sábado (28) que o vigilante Betuel Silva Chagas, que apontou um revólver para mulheres durante uma manifestação contra o feminicídio, no bairro do Alecrim, será indiciado por porte ilegal de arma de fogo e ameaça.

O vídeo em que Chagas desce de uma moto e saca a arma viralizou nas redes sociais.

Durante a manifestação, um grupo formado majoritariamente por mulheres cobrava resposta para o caso da jovem Joice Cilene, morta a facadas pelo ex-companheiro uma semana antes, naquele mesmo local.

O vigilante tentou forçar a passagem e provocou confusão ao sacar uma arma de fogo no meio do protesto. Em sua defesa, Betuel chegou a dizer que puxou a arma da cintura porque estava sofrendo linchamento e temia ser morto. O inquérito ficará com a 3ª Delegacia de Polícia, localizada no bairro do Alecrim, na Zona Leste de Natal.

Filiado ao PSOL e ex-diretor do Sindicato dos Vigilantes do Rio Grande do Norte, ele chegou chegou a registrar queixa na polícia alegando ter sido vítima de tentativa de linchamento. À agência Saiba Mais, disse que teve medo de morrer.

O setorial de mulheres do PSOL divulgou nota pedindo a expulsão do vigilante. A direção estadual da legenda já solicitou o afastamento dele por 12 meses e informou que vai encaminhar à executiva nacional o pedido de expulsão.

Saiba Mais: Homem armado que ameaçou mulheres em ato diz que estava sendo linchado e poderia ter morrido

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"