TRANSPARÊNCIA

Covid-19: 18% dos municípios do RN têm piora em indicadores de controle da pandemia

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) registrou esta semana uma piora de 18,6% nos indicadores relacionados ao controle da pandemia do novo coronavírus nas cidades do Rio Grande do Norte. O estudo de indicador composto finalizado nesta segunda (18), leva em consideração diversos fatores como ocupação de leitos, casos ativos e óbitos por covid-19.

Pelo menos 31 municípios tiveram queda na pontuação, que vai de 1 a 5, sendo 1 para a situação mais confortável. Destes, 22 saíram da pontuação 1 para 2. Outros oito municípios passaram da pontuação 2 para a 3, já dentro do sinal amarelo, e um saiu do 3 para a 4, sendo o município de Vera Cruz, o único com essa pontuação em todo o estado.

Estão na faixa amarela com pontuação 3 os municípios de Cruzeta, Goianinha, Itajá, Itaú, João Dias, Lagoa de Velhos, Pedro Velho, Pilões, Santa Cruz, São Tomé e Timbaúba dos Batistas.

“A situação da pandemia ainda é estável em um patamar baixo, mas os indicadores mostram que não é possível relaxar. Temos que manter os cuidados, permanecer usando máscara e as medidas de distanciamento. Não é hora de relaxar“, alerta o secretário de Estado da Saúde Pública, Cipriano Maia.

Pelo boletim epidemiológico mais recente divulgado pela Sesap nesta segunda (18), o Rio Grande do Norte tinha um total de 370.914 casos confirmados e 178.747 casos suspeitos de covid-19. Já são 7.364 óbitos confirmados e 1.319 mortes suspeitas sob investigação. Pelo sistema de Regulação, o Rio Grande do Norte tem 119 leitos críticos (semi-intensivos e UTI’s) disponíveis, sendo a maioria na região metropolitana de Natal.

Na manhã desta terça (19), o Hospital Maria Alice Fernandes estava 100% de seus leitos críticos destinados a pacientes com covid-19 ocupados. No Hospital Rafael Fernandes a ocupação chegava a 80% e em 60% no Hospital Giselda Trigueiro, em Natal. Ao todo, a taxa de ocupação dos leitos críticos no RN é de 37,4%, esse índice se repete na região metropolitana de Natal, passa para 38,6% na região Oeste e baixa para 33,3% no Seridó.

“Temos um contingente grande de pessoas com a segunda dose em atraso. Deixamos aqui um apelo para que procurem os postos de vacinação e tomem a vacina, para garantir a imunidade e alcançarmos os índices ideais de proteção“, lembra Cipriano Maia.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Previous ArticleNext Article