“Orçamento secreto é o maior escândalo de compra de votos da história do Brasil”, critica Mineiro
Natal, RN 17 de jul 2024

“Orçamento secreto é o maior escândalo de compra de votos da história do Brasil”, critica Mineiro

8 de novembro de 2021
“Orçamento secreto é o maior escândalo de compra de votos da história do Brasil”, critica Mineiro

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

“Você já se perguntou por que mesmo diante de tanta perversidade do Bolsonaro, ele ainda consegue ter o apoio da maioria do Congresso Nacional?”, questiona em vídeo Fernando Mineiro (PT-RN), atualmente secretário estadual de Gestão de Projetos e Metas e coordenador do Projeto Governo Cidadão, ao dar uma resposta direta: o presidente compra o votos dos parlamentares com dinheiro público.

Na sexta-feira (5), a ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Rosa Weber suspendeu o pagamento das “emendas de relator” do Orçamento da União. As verbas para obras e investimentos estariam sendo liberadas pelo governo em troca de apoio – prática de corrupção que foi chamada de "orçamento secreto".

Mineiro lembra que só neste ano, 18 bilhões de reais foram destinados a essas emendas, que são definidas em acertos informais entre aliados e o governo federal. Em 2022, ano de eleições, estão previstos 20 bilhões, com a aprovação da PEC dos Precatórios.

“Essa farra pode estar com os dias contados. É preciso acompanhar o que acontece lá em Brasília. E acompanhar principalmente quais parlamentares do Rio Grande do Norte fazem uso do chamado orçamento secreto. Esse é o maior escândalo da história do Brasil”, alerta Mineiro. “Fique de olho”.

Desse orçamento, o ministro do Desenvolvimento Regional, o potiguar Rogério Marinho, pegou R$ 1,4 milhão para a obra de um mirante turístico vizinho a um terreno onde construirá um condomínio privado no município de Monte das Gameleiras, no agreste do Rio Grande do Norte. A atração turística fica a cerca de 300 metros de propriedade do ministro.

O Tribunal de Contas da União (TCU) incluiu na pauta da sessão plenária da próxima quarta-feira (10) a análise de dois pedidos para que a Corte apure se o presidente Jair Bolsonaro criou mesmo um orçamento secreto em troca de apoio em votações no Congresso. O relator do processo no TCU é o ministro Raimundo Carreiro. Os pedidos de investigação foram formulados pelo subprocurador-Geral do Ministério Público junto ao TCU, Lucas Rocha Furtado, e pelo deputado Alessandro Molon (PSB-RJ), líder da oposição na Câmara.

Veja vídeo:

[embed]https://www.instagram.com/tv/CWA1QgAD2Bd/?utm_medium=copy_link[/embed]

As mais quentes do dia

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.