CULTURA

Sideral estreia neste domingo (7) no festival internacional de curtas do Rio em sessão presencial e virtual

Sideral finalmente aterrissou em solo brasileiro. Primero filme potiguar indicado à Palma de Ouro, estatueta do renomado festival de Cannes, na França, o curta dirigido por Carlos Segundo será exibido neste domingo (7), a partir das 19h, na mostra nacional do festival internacional de curtas do Rio de Janeiro.

O evento começou dia 4 e segue até 9 de novembro. Ao todo, 30 filmes de curta-metragem concorrem na mostra nacional.

Em razão da pandemia, o festival acontece em formato híbrido, com sessões presenciais e online, o que significa que o público potiguar também poderá assistir a exibição aqui. A transmissão virtual será às 21h e ficará disponível por 24h ou até atingir o limite de 400 acessos.

Aplaudido de pé após ser exibido na seleção oficial do festival de curtas de Cannes, Sideral é uma coprodução internacional entre as empresas brasileiras Casa da Praia Filmes e O Sopro do Tempo e a francesa Les Valseurs, repetindo a parceria de outro trabalho dirigido por Carlos Segundo, o longa Fendas, lançado em 2019 no FID Marseille, com previsão de estreia comercial na França no final de julho de 2021.

Com produção brasileira de Mariana Hardi e Pedro Fiuza, a produção genuinamente natalense estrelada por Priscilla Vilela e Enio Cavalcante conta com equipe e elenco de profissionais potiguares. O filme foi parcialmente financiado pela Lei Aldir Blanc.

Impermanentes

Além de Sideral, o filme potiguar Impermanentes também concorre na mostra nacional do festival do Rio. O curta é dirigido pela dupla Júlio Castro e Manoel Batista, diretor de Codinome Breno, selecionado para o festival em 2019.

Impermanentes será exibido na próxima terça-feira (9), a partir das 19h, também com sessão híbrida, presencial e online. Acesse o link aqui

Ênio Cavalcante está em Impermanentes, de Júlio Castro e Manoel Batista / foto: Divulgação

Céu de Agosto

Outro curta presente no festival que conta com o talento potiguar é Céu de Agosto, da diretora paulista Jasmin Tenucci. O filme recebeu menção-honrosa no festival de Cannes em 2021 e tem a potiguar Badu Morais no papel de protagonista.  Céu de Agosto foi exibido no sábado (6) e concorre na mesma mostra nacional em que estão Sideral e Impermanentes.

Confira as sinopses dos filmes potiguares:

Sideral
Diretor: Carlos Segundo
Tempo: 15 min

Em Natal, no nordeste do Brasil, está prestes a acontecer o primeiro lançamento histórico de um foguete brasileiro. Um casal mora com os dois filhos perto do centro espacial. Ele é mecânico, ela é faxineira no centro, mas ela sonha com outros horizontes…

Impermanentes
Direção: Júlio Castro e Manoel Batista
Tempo: 14 min

Em meio a espetáculos inéditos do cotidiano imposto pela pandemia, dois irmãos em situação de rua lidam com a doença que se espalha pela cidade. Entre a precaução e o negacionismo, sentimentos comuns como separação e medo persistem, embora continuem prevalecendo as preocupações individuais e a dificuldade em aceitar verdadeiramente o padecimento.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"