Principal

“Vamos apoiar Bolsonaro para presidente”, diz ex-governador Robinson Faria

Robinson Faria é acusado de fazer propaganda eleitoral antecipada

O ex-governador e atual presidente estadual do PSD, Robinson Faria, confirmou sexta-feira (26), que o partido no RN vai apoiar a reeleição do presidente Jair Bolsonaro. A posição foi anunciada em evento que contou com a presença do presidente nacional da legenda, Gilberto Kassab, e será mantida mesmo que PSD nacional tenha candidatura própria.

Na última quarta-feira (24), o PSD aprovou o “Manifesto de Brasília”, com direcionamentos de conduta e posicionamento político, e um dos pontos do documento aponta para candidatura própria para a presidência em 2022. O nome levantado no encontro é o do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco.

Robinson, que é pai do ministro das Comunicações, Fábio Faria, disse que Gilberto Kassab deu liberdade para cada estado decidir o apoio à candidaturas nacionais de acordo com circunstância local. e completou dizendo que nã tem nada contra uma possível candidatura do PSD nacional, mas que no Rio Grande do Norte o partido vai apoiar Bolsonaro.

No evento nacional do PSD, Rodrigo Pacheco praticamente aceitou a indicação para uma possível candidatura à presidência da república e declarou que “estará de corpo, alma, mente e coração a serviço do partido e do Brasil”. Ele alfinetou o bolsonarismo quando afirmou que o “amor ao Brasil não é colocar uma camisa da seleção brasileira e sair atacando o STF”.

Robinson está com direitos políticos suspensos
Em fevereiro de 2021, o Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN), suspendeu por oitos anos os direitos políticos do ex-governador. A Justiça entendeu que houve abuso de poder econômico pelo ex-governador Robinson Faria no ano de 2018, quando buscava sua reeleição. O Governador inaugurou restaurantes populares no ano eleitoral, infringindo a legislação para o período.

Na decisão, o desembargador Gilson Barbosa, em seu voto de desempate pela condenação do ex-governador disse que “não pairam dúvidas de que as condutas consubstanciam-se em nítidos esforços enviados para a reeleição do então chefe do Poder Executivo Estadual”.

Além do ex-governador Robinson Faria, tiveram suspensos seus direitos políticos o então candidato a vice-governador, Sebastiao Filgueira do Couto, Ana Valeria Barbalho Cavalcanti, Francisco Vagner Gutemberg de Araujo, Josimar Custodio Ferreira, Pedro de Oliveira Cavalcanti Filho e Pedro Ratts de Ratis.

A defesa do ex-governador tenta recurso ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e a possível candidatura dele para o legislativo depende desse recurso. Nos bastidores, especula-se que Robinson queira concorrer a uma vaga de deputado federal, e o filho, Fábio Faria, trava uma briga estadual com o também ministro Rogério Marinho pelo apoio do presidente Bolsonaro para disputar a vaga ao senado. Há, também, a possibilidade de Fábio Faria ser candidato a vice-presidente de Bolsanaro.

 

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo