DEMOCRACIA

Click Governo Cidadão: Ferramenta virtual dá acesso à população a todas as obras financiadas pelo Banco Mundial no RN

Ações concluídas, obras em execução e até licitações abertas pelo projeto Governo Cidadão nos 167 municípios potiguares poderão ser acompanhadas, em detalhes, pela população do Rio Grande do Norte. A iniciativa era um desejo antigo do secretário de Gestão de Projetos e Metas do Governo Fernando Mineiro, mas só agora pôde ser realizada. O Governo Cidadão é um projeto financiado pelo Banco Mundial desde 2011 e abrange todo o território estadual.

Mineiro informou a novidade, em primeira mão, no Balbúrdia, programa do Youtube da Agência Saiba Mais realizado terça-feira (21), e anunciou o lançamento da ferramenta para hoje:

– Se uma pessoa estiver em Caicó e quiser saber sobre obra tal no município é só clicar no link que vai estar lá as obras, valor, o estágio dela e até como estava em dezembro de 2018, isso em todos os municípios que tiver uma obra. Se quiser saber onde tem obra ligada à Educação é só digitar. Isso é transparência, uma coisa que sempre defendi e que consegui fazer agora. A partir de hoje população vai poder saber o que tem e aonde tem”.

Pela ferramenta será possível acessar ações finalizadas, em andamento, licitações e o volume de recursos aplicados por cidade, território e áreas de benefício.

O link da plataforma ficará disponível no site do Governo Cidadão. Qualquer pessoa, de qualquer lugar do mundo com acesso a internet, pode conferir.

Cultura

Para medir a importância do projeto Governo Cidadão para o Rio Grande do Norte é só olhar para a cultura. Todas as obras do setor cultural que foram paralisadas nas gestões dos ex-governadores Rosalba Ciarlini e Robinson Faria – e estão sendo entregues em 2021 – contam com recursos do Banco Mundial.

Além do Papódromo e da Escola de Dança do Teatro Alberto Maranhão, concluídos em meados de julho, o Governo devolveu à população nos últimos 15 dias obras fechadas há quase 10 anos, como é o caso da Biblioteca Câmara Cascudo, que chegou a ser inaugurada pela gestão Robinson sem habite-se e rampa de acessibilidade, ou seja, sem condições de receber leitores.

De duas semanas para cá, além da Biblioteca, foram devolvidos à sociedade a Pinacoteca, o Teatro Alberto Maranhão e, no próximo sábado, a governadora Fátima Bezerra reinaugura o Forte dos Reis Magos.

“Uma coisa indizível”, diz Mineiro sobre conclusão de obras no setor cultural

Secretário Fernando Mineiro coordenou a pasta responsável pelas obras nos equipamentos da cultura / foto: Elisa Elsie

Coordenador de todo esse processo, Fernando Mineiro divide os louros com a equipe e admite que faltam palavras para expressar o sentimento de dever cumprido:

– Entregar essas obras, para mim, é uma coisa indizível, estive ontem no teatro lotado para a exibição de filmes potiguares e foi uma sensação única. Quando fui convidado pela governadora, o objetivo era restaurar os prédios e entregar todas as obras. E ao ver os prédios da Cultura sendo devolvidos para a sociedade… me sinto privilegiado de cumprir esse papel. Nesse período, conseguimos destravar todas as obras. Para ser preciso, tem uma que preciso destravar e soube hoje que já consegui destravar a barragem do Pataxó. Mas é claro que não sou eu sozinho, tenho um equipe afinada que trabalha muito”.

Entre as obras importantes do projeto, Mineiro citou ainda o Hospital da Mulher, em Mossoró, que está com o cronograma adiantado e deve ser entregue em 2022. Outro avanço da atual gestão, pontua, é na Educação.

– Entregamos 36 escolas em três anos. Os caras ficaram com dinheiro depositado durante 6 anos e não entregaram nenhuma”, provocou.

Mineiro confirma candidatura a deputado federal

O atual secretário deve permanecer à frente da pasta até o final de março, quando a legislação eleitoral determina que agentes públicos com interesse em se candidatar a cargos eletivos devem se desincompatibilizar dos cargos para disputar as eleições.

Ao Balbúrdia, Fernando Mineiro confirmou que vai disputar uma vaga na Câmara Federal em 2022. Ele foi o terceiro candidato mais votado em 2018, mas um golpe jurídico impediu que o parlamentar eleito assumisse o cargo, hoje ocupado pelo deputado Beto Rosado (PP). O petista chegou a dizer que tinha desistido de disputar as eleições após o baque, mas recuperou a confiança após a reviravolta jurídica no caso do ex-presidente Lula:

– Eu tinha decidido não participar mais de eleições, era uma decisão definitiva. Mas quando o ex-presidente Lula recuperou sua cidadania eu mudei de ideia e resolvi colocar meu nome à disposição do Partido dos Trabalhadores mais uma vez”.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"