Justiça Federal do RN recebe denúncia contra José Agripino
Natal, RN 25 de jun 2024

Justiça Federal do RN recebe denúncia contra José Agripino

17 de dezembro de 2021
2min
Justiça Federal do RN recebe denúncia contra José Agripino

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

A Justiça Federal do Rio Grande do Norte recebeu denúncia proposta pelo Ministério Público Federal contra José Agripino Maia, Raimundo Alves Maia Júnior e Victor Neves Wanderley. As acusações são pela prática dos crimes de peculato e associação criminosa.

O MPF denuncia que Victor Neves Wanderley (genro do denunciado Raimundo Alves Maia Júnior), foi nomeado por José Agripino para um cargo comissionado no Senado entre março de 2009 e março de 2016, recebia remuneração, mas nunca teria trabalhado.

As informações do Ministério Público Federal apontam que Victor Neves repassava a maior parte dos valores recebidos a título de remuneração para Raimundo Alves Maia Júnior, tendo sido também uma parte transferida para José Agripino Maia.

Pela denúncia, no período em que estava nomeado para o gabinete no Senado Federal, Victor Neves trabalhava em uma farmácia na cidade de Natal/RN, que pertencia ao seu tio.

O Juiz Federal Francisco Eduardo Guimarães Farias, titular da 14ª Vara, na sua decisão afastou as preliminares de nulidade de provas e inépcia da denúncia suscitadas pela defesa e determinou a citação dos réus para apresentarem resposta à acusação.

Denúncia foi apresentada inicialmente ao STF em 2018
As investigações foram apresentadas ao STF em 2018 e pelos detalhes mostrados aqui na SAIBA MAIS, Victor Neves Wanderley repassava a remuneração recebida do Senado a Raimundo Alves Maia Júnior, a pessoa que efetivamente prestava serviços ao senador. Como era funcionário da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, Raimundo não poderia assumir função no Senado.

A forma encontrada pelo parlamentar para remunerá-lo foi a nomeação fictícia. A PGR destaca que, ao longo de 84 meses, foram desviados da União quase R$ 600 mil.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.