TRANSPARÊNCIA

Justiça Federal do RN recebe denúncia contra José Agripino

A Justiça Federal do Rio Grande do Norte recebeu denúncia proposta pelo Ministério Público Federal contra José Agripino Maia, Raimundo Alves Maia Júnior e Victor Neves Wanderley. As acusações são pela prática dos crimes de peculato e associação criminosa.

O MPF denuncia que Victor Neves Wanderley (genro do denunciado Raimundo Alves Maia Júnior), foi nomeado por José Agripino para um cargo comissionado no Senado entre março de 2009 e março de 2016, recebia remuneração, mas nunca teria trabalhado.

As informações do Ministério Público Federal apontam que Victor Neves repassava a maior parte dos valores recebidos a título de remuneração para Raimundo Alves Maia Júnior, tendo sido também uma parte transferida para José Agripino Maia.

Pela denúncia, no período em que estava nomeado para o gabinete no Senado Federal, Victor Neves trabalhava em uma farmácia na cidade de Natal/RN, que pertencia ao seu tio.

O Juiz Federal Francisco Eduardo Guimarães Farias, titular da 14ª Vara, na sua decisão afastou as preliminares de nulidade de provas e inépcia da denúncia suscitadas pela defesa e determinou a citação dos réus para apresentarem resposta à acusação.

Denúncia foi apresentada inicialmente ao STF em 2018
As investigações foram apresentadas ao STF em 2018 e pelos detalhes mostrados aqui na SAIBA MAIS, Victor Neves Wanderley repassava a remuneração recebida do Senado a Raimundo Alves Maia Júnior, a pessoa que efetivamente prestava serviços ao senador. Como era funcionário da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, Raimundo não poderia assumir função no Senado.

A forma encontrada pelo parlamentar para remunerá-lo foi a nomeação fictícia. A PGR destaca que, ao longo de 84 meses, foram desviados da União quase R$ 600 mil.

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo