Jean Paul Prates faz balanço do mandato e ganha apoio para buscar reeleição ao Senado
Natal, RN 26 de mai 2024

Jean Paul Prates faz balanço do mandato e ganha apoio para buscar reeleição ao Senado

10 de dezembro de 2021
Jean Paul Prates faz balanço do mandato e ganha apoio para buscar reeleição ao Senado

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Cercado por colegas de partido em seu comitê em Natal, o senador Jean Paul Prates (PT) aproveitou esta sexta (10) para fazer um balanço de sua gestão, desde que assumiu o cargo em 2019, em substituição à atual governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), até este ano de 2021.

O mandato de Prates termina em 31 de dezembro de 2022, mas ele já reafirmou diversas vezes que colocou o nome à disposição do PT para renovar o mandato por mais 8 anos. Em 2022, apenas uma vaga para o Senado estará em disputa pelo Rio Grande do Norte.

Senador Jean Paul I Foto: cedida

"Quem está esperando algum movimento de reação a essas fofocas políticas, não espere de mim qualquer movimento de deslealdade ao Partido dos Trabalhadores e à Fátima, porque não vai ter!"

Durante o evento em que o senador lançou uma revista com o balanço de ações e Projetos de Lei de seu mandato, Jean Paul aproveitou para mandar um recado sobre especulações em torno de sua candidatura à reeleição. No submundo da política, tentou-se aventar o nome do ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves, para concorrer à única vaga no senado em 2022 para o Rio Grande do Norte.

"Minha querida amiga, irmã, mesmo antes de ser suplente, já tínhamos uma relação próxima, trabalhávamos juntos. É uma relação que vem antes da política e acontece também dentro da política, que é a melhor que tem, de fidelidade, lealdade. Quem está esperando algum movimento de reação a essas fofocas políticas, não espere de mim qualquer movimento de deslealdade ao Partido dos Trabalhadores e à Fátima, porque não vai ter!", declarou Jean, que foi aplaudido na sequência por todos os presentes.

A deputada federal Natália Bonavides (PT) também soltou uma indireta ao dizer que “já teve Alves demais senador neste Estado”.

Jean Paul com Iris Oliveira I Foto: cedida

A presença dos colegas de partido como os deputados estaduais Francisco do PT e Isolda Dantas (PT), a própria Natália, representantes das vereadoras de Natal, Divaneide Basílio (PT) e Brisa Brachi (PT), secretários do Governo do Estado, como Alexandre de Oliveira (Secretário de Estado e Desenvolvimento da Agricultura Familiar) e Íris Oliveira (Secretária do Trabalho, Habitação e Assistência Social), além de lideranças sindicais da Central Única dos Trabalhadores (CUT/ RN) e Correios, deram força ao senador.

O senador Jean Paul teve participação na criação do Auxílio Emergencial durante a pandemia da covid-19, na lei de apoio às micro e pequenas empresas e na Lei Aldir Blanc de apoio ao setor de cultura. Além disso, Jean é o autor do Projeto de Lei 2112/2021 que resultou na Lei14,190, que inclui as lactantes no grupo prioritário de vacinação. Ao todo, foram 496 propostas legislativas, sendo 39 projetos de lei e 66 propostas de emenda à Constituição.

“Nós enfrentamos um governo completamente contrário a tudo que a gente pensa. Temos que fazer isso com muita estratégia e inteligência. Não é uma coisa fácil enfrentar governos insidiosos que usam “jabutis” legislativos, pressão política, tratoraço, enfim... tudo de péssimo na política, que sempre existiu no país e que até nossos governos podem ter sucumbido a algumas dessas coisas, mas eventualmente. Agora é tudo ao mesmo tempo! Eles usam todo o massacre possível”, comentou Jean Paul.

Para quem ainda não entendeu ou sequer desconfia, o senador explicou a pressa do governo federal em aprovar pautas, como a da reforma trabalhista, de maneira tão rápida e sem debate com os diferentes setores da população.

Como os projetos são ruins e eles sabem que com pouco tempo se provam negativos, e taí a reforma trabalhista, por exemplo, que não gerou emprego nenhum e muito pelo contrário, resultou num desemprego recorde com toda essa precarização, eles sabem que essas ideias têm vida curta. Elas têm que passar [por votação] correndo, de noite, na surdina. Se não estivermos lá para alertar, lutar, brigar e colocar dificuldade...”, comentou o senador, que junto com outros parlamentares, conseguiu adiar a privatização dos Correios para 2022.

Privatizações

Além dos Correios, a privatização da Eletrobras também foi suspensa, mas nesse caso, pelo Tribunal de Contas da União (TCU). Para evitar a venda de estatais durante períodos de crise, quando elas passam a ser menos valorizadas, o parlamentar apresentou os Projetos de Lei 3711/2020 e 3110/ 2020, que torna obrigatória a autorização do legislativo para a venda de ações que resulte na perda de controle acionário das empresas públicas, sociedade de economia mista e suas subsidiárias.

Gasolina

Na última terça (7), a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do senado aprovou o projeto que garante uma estabilidade no preço dos combustíveis que, diante da política adotada pelo ex-presidente Michel Temer e aprofundada no governo do presidente Bolsonaro (PL), vem sofrendo sucessivos aumentos. O projeto, de autoria do senador Jean Paul, propõe a taxação das exportações do petróleo cru e a criação de um fundo para estabilização do preço dos combustíveis. O texto segue para votação do Plenário da Casa.

Energias Renováveis

Especialista em Planejamento Energético, Gestão Ambiental e Economia de Petróleo e Motores, Jean Paul presidiu a comissão temporária formada por senadores para averiguar os motivos da crise hidroenergética no país depois da ameaça de apagão ocorrida 20 anos atrás.

Além disso, Jean Paul é autor do Projeto de Lei 576/21 que estabelece o Marco Regulatório para a produção de energia elétrica offshore (em alto mar). Em novembro deste ano, durante viagem de negócios a Copenhaguen, a governadora do RN, Fátima Bezerra, assinou um memorando com a empresa Copenhagen Infrastructure Partners, maior fundo de investimentos de energias renováveis no mundo atualmente, para implantação do projeto Alísios Potiguares, que prevê a implantação de infraestrutura para geração de 1,8 GW na produção de energia offshore, além do também chamado hidrogênio verde.

Com a assinatura do acordo, a estimativa é que o Rio Grande do Norte se torne o primeiro estado do Brasil a implementar a energia eólica no mar (offshore). Nesse sistema, as turbinas eólicas são implantadas no leito marinho para aproveitar a força dos ventos sem barreiras em alto-mar.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.