CIDADANIA

Sesap estima que mais de 300 mil crianças entre 5 e 11 anos de idade serão vacinadas no RN a partir da segunda quinzena de janeiro

A secretaria de Estado de Saúde Pública anunciou que já concluiu o plano de logística para encaminhar aos municípios as vacinas a serem aplicadas em crianças de 5 a 11 anos de idade tão logo o Ministério da Saúde envie os imunizantes ao Rio Grande do Norte.

A previsão informada pelo próprio Governo Federal é de que os primeiros lotes das vacinas pediátricas cheguem ao Brasil dia 13 de janeiro e comecem a ser enviadas aos Estados no dia seguinte. Até o final do mês, 3,7 milhões de doses da Pfizer serão distribuídas.

A coordenadora de vigilância em Saúde da Sesap Kelly Lima, acredita numa vacinação maciça deste grupo que conta com mais de 300 mil crianças nesta faixa etária.

 – A Sesap recebeu com muita felicidade a deliberação do Ministério da Saúde sobre a vacinação de crianças de 5 a 11 anos. Já havíamos pactuado aqui no Estado de que essa vacinação aconteceria de maneira oportuna, sem necessidade de prescrição médica. E o Ministério sinalizou ontem (quarta-feira) que a partir de 14 de janeiro as doses serão encaminhadas aos Estados. Temos mais de 300 mil pessoas nessa faixa etária de 5 a 11 anos e acreditamos que teremos uma ampla adesão a essa campanha”, afirmou.

Reportagem publicada nesta quarta-feira pela agência Saiba Mais a partir de um levantamento solicitado a Sesap mostrou que a Covid-19 matou mais crianças no RN do que todas as outras doenças que possuem vacinas infantis somadas. Durante a pandemia, 25 crianças morreram no Rio Grande do Norte vítimas de Covid-19. Em todo o país, somente em 2020 , 297 crianças de 5 a 11 anos vieram a óbito em razão da doença.

A gestora reforçou a importância da vacinação deste grupo para combater a Ômicron, nova cepa do novo coronavírus já disseminada pelo Estado.

– Reforçamos importância da vacinação dessas crianças para combater a Ômicron aqui no Estado e reiteramos a alegria de estar, de forma oportuna, realizando essa vacinação. Toda logística já está preparada. Na perspectiva de que as doses cheguem ao Estado em menos de 24 horas faremos essa ampla distribuição aos municípios. e a ideia é que consigamos de imediato dar inicio a essa campanha de vacinação e seguir com outros grupos que ainda estão em curso no Estado”, disse.

Kelly Lima voltou a pedir que as pessoas que ainda não tomaram a segunda dose da vacina, independente da idade, procurem uma unidade de saúde para receber o imunizante. De mesmo modo, quem já está no período para receber a 3ª dose, é importante tomar o reforço.

Vacinação no RN

Mais de 5,4 milhões de doses já foram aplicadas no Rio Grande do Norte, entre primeira, segunda e terceira doses. Ao todo, 84% da população já foi vacinada com ao menos uma dose da vacina; 74% com duas doses e 17% com as três doses.

Ministério da Saúde divulga cronograma de envio de vacinas pediátricas

O primeiro lote de vacinas pediátricas da Pfize deve chegar ao Brasil na quinta-feira (13). A distribuição aos estados começará a ser feita no dia seguinte, se o cronograma for cumprido. Até o fim do mês, a estimativa é que 3,7 milhões de doses cheguem ao país em três voos, sendo um por semana.

O cronograma previsto é:

  • 13 de janeiro: primeiro voo, com 1,248 milhão de doses;
  • 20 de janeiro: segundo voo com 1,248 milhão de doses;
  • 27 de janeiro: terceiro voo com 1,248 milhão de doses.

Segundo a nota técnica divulgada pelo governo, a ordem de prioridade na imunização será a seguinte:

  1. crianças de 5 a 11 anos com deficiência permanente ou com comorbidades
  2. crianças indígenas e quilombolas
  3. crianças que vivam em lar com pessoas com alto risco para evolução grave de Covid-19
  4. crianças sem comorbidades, em ordem decrescente de idade: primeiro, as de 10 e 11 anos; depois, as de 8 e 9 anos; em seguida, as de 6 e 7 anos; e, por último, as crianças de 5 anos.

A vacina será dada em duas doses e com 21 dias de intervalo, mas a dosagem, a composição e a concentração da vacina pediátrica são diferentes da dos adultos.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"