Colônia de Pescadores de Natal denuncia fechamento de rua e pressão para deixar local antes da construção de uma nova sede
Natal, RN 24 de mai 2024

Colônia de Pescadores de Natal denuncia fechamento de rua e pressão para deixar local antes da construção de uma nova sede

14 de fevereiro de 2022
4min
Colônia de Pescadores de Natal denuncia fechamento de rua e pressão para deixar local antes da construção de uma nova sede

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

A direção da centenária Colônia Z-04 de Pesca e Aquicultura de Natal José Bonifácio, mais conhecida como a Colônia de Pescadores do Maruim, na área do Canto do Mangue, nas Rocas, está preocupada com os tapumes e os dois portões que foram colocados desde a semana passada pela prefeitura de Natal e Superintendência do Patrimônio da União, na rua que dá acesso à sede.

Segundo a Secretaria Municipal de Habitação, Regularização Fundiária e Projetos Estruturantes (Seharpe), o isolamento é necessário para evitar novas ocupações irregulares no local – pelo menos duas tentativas já teriam sido registradas - enquanto é dado andamento as obras de urbanização e reestruturação do Canto do Mangue, onde também ficava a Comunidade do Maruim, formada por casas e casebres, muitas vezes, em condições insalubres.

As chaves dos portões serão entregues pela Superintendência do Patrimônio da União a alguns poucos comerciantes com pontos na rua fechada e à presidente da Colônia de Pescadores.

Eles disseram que me dariam a chave, mas não tenho funcionário para ficar abrindo o portão. Antes, a rua era de acesso livre. Além disso, nossa preocupação é que essas obras sejam concluídas e a gente continue aqui, isolados. Somos uma instituição centenária fundada em 1922. É um desrespeito histórico! Nossa Colônia foi fundada por Café Filho! Ele foi nosso primeiro presidente e deixou a direção da Colônia para se tornar presidente da República”, denuncia Rosangela Silva do Nascimento, atual presidente da Colônia de Pescadores do Maruim.

A previsão é de que a obra de urbanização do local seja concluída ainda no primeiro semestre de 2022, o que só aumenta a preocupação da presidente da Colônia, já que a construção da nova sede não foi iniciada.

Estão fazendo pressão para que a gente saia e abandone o lugar. Mas não vamos fazer isso, somos 500 associados. O Patrimônio [da União] se comprometeu em doar o terreno, que até já vimos onde vai ficar e concordamos, em frente à Rampa. Mas, sabemos que há o risco da prefeitura não construir o prédio se sairmos daqui sem que a nova sede esteja pronta. A remoção do pessoal do Maruim já ocorreu há seis anos e nada de sede ainda”, analisa Rosangela Silva.

De acordo com a Seharpe, o projeto prevê que a nova sede da Colônia seja construída num terreno doado pela União localizado quase em frente à Rampa. Mas, a obra será paga não pela prefeitura de Natal, mas pela própria Colônia de Pescadores que, para isso, receberá uma indenização pela desocupação do local onde se encontra atualmente. O valor da indenização a ser pago à Colônia ainda está sendo estudado pelos técnicos da Secretaria.

Por causa das condições insalubres do lugar, em 2016 as famílias que moravam no Maruim foram transferidas para o Residencial São Pedro, construído pela Prefeitura de Natal no bairro da Ribeira. No espaço das ocupações irregulares há um projeto para a construção do Centro Comercial do Maruim, com três blocos divididos entre boxes, espaços para as marisqueiras, descascadores de camarão e comerciantes da região.

Isolamento feito próximo à Colônia de Pescadores I Fotos: Doadas
Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.