“Deputados que chamavam professores de vagabundos agora tentam posar ao lado da categoria”, afirma deputada do PT
Natal, RN 18 de jun 2024

"Deputados que chamavam professores de vagabundos agora tentam posar ao lado da categoria", afirma deputada do PT

15 de fevereiro de 2022
3min

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Em vídeo divulgado nas redes sociais, a deputada estadual Isolda Dantas (PT) desabafou sobre polêmicas e pronunciamentos que aconteceram na sessão desta terça-feira dia 15 na Assembleia Legislativa do RN envolvendo o conflito entre a categoria dos professores e professoras, através do SINTE/RN e o Governo do Estado.

"É preciso estar atento e forte nessa pela luta pela implementação do piso, pois tem gente torcendo pela briga. Nesta terça na Assembleia vimos vários deputados posando de defensores dos professores e professoras. Os mesmos deputados que chamavam professores de vagabundos e acusaram os professores de estar de férias no período de confinamento da pandemia e agora tentam posar ao lado da categoria", reclamou Isolda.

"É preciso que fique compreendido pela sociedade que a categoria está lutando por um direito. O Governo tem procurado reconhecer esse direito e encontrar forma de implementação dos 33,24% para toda a categoria e aposentados. Nós estamos sempre na luta ao lado dos professores não podemos nos deixar ser atacados pela Direita neste momento. Todo o apoio do nosso mandato à categoria e estou confiante que SINTE e o Governo vão chegar a um consenso", afirmou.

ENTENDA A SITUAÇÃO

A proposta do Governo, oficializada e detalhada por meio de documento, consiste no seguinte:

1 – Aplicar os 33,24% a partir de janeiro para os que ganham menos que R$3.845,63, proporcional a 30 horas

2 – Aplicar, a partir de janeiro, entre 0,1% e 33,24% para quem ganha menos que R$3.843,63

Aplicar em março os 13% para todos que não receberam em janeiro

Complementar em dezembro os 33,24%, entre 0% a 17,91%, dependendo da parcela recebida no mês de janeiro ou março

Contudo, o Executivo, alegando a Lei Eleitoral, alertou que o item 2 da proposta está condicionado a uma autorização do Tribunal de Contas do Estado (TCE) e do Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

Já o SINTE/RN exige o reajuste de 33,24% para toda a categoria e fez uma contraproposta: 80% dos participantes da Assembleia da segunda-feira dia 14 aprovaram apresentar ao Governo uma contraproposta. No entanto, os termos ainda não foram definidos diante da complexidade do assunto. Ficou acertado que a contraproposta será elaborada pela direção do SINTE/RN em parceria com a Comissão composta por membros da base e entregue ao Executivo. Na quinta-feira, 17 de fevereiro, a categoria tomará conhecimento dos detalhes da contraproposta durante a Assembleia presencial já marcada.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.