Produção de arroz vermelho orgânico recebe incentivo do Governo do RN
Natal, RN 20 de jun 2024

Produção de arroz vermelho orgânico recebe incentivo do Governo do RN

2 de março de 2022
4min
Produção de arroz vermelho orgânico recebe incentivo do Governo do RN

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

A produção orgânica e a comercialização de pelo menos 25 toneladas do tradicional arroz da terra, ainda em 2022, está assegurada graças a uma parceria entre Governo do Rio Grande do Norte, setores de produção e comercialização do MST, Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Apodi (STTR) e Rede Xique-xique. O compromisso foi firmado durante o Intercâmbio do Arroz RN/RS promovido pelo Estado, em visita aos campos de arroz vermelho do Vale do Apodi.

“O incentivo governamental ao arroz vermelho passa por duas vertentes: incentivando a produção em base agroecológica e apoiando a comercialização”, declaro o, titular da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Rural e da Agricultura Familiar (Sedraf), Alexandre Lima, acompanhado pelo adjunto Lucenilson Ângelo.

Por meio do ATER Mais Gestão, programa de Assistência Técnica e Extensão Rural para Cooperativas e Associações da Agricultura Familiar, executado pela Secretaria, os agricultores e as agricultoras que optarem pela transição agroecológica receberão assistência via Emater-RN (Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural), Coletivo Feminista 8 de Março (CF8) e Terra Viva.

Foto: Sedraf-RN

O intercâmbio assegura que o arroz vermelho do Apodi terá certificação orgânica pela Rede Xique-Xique, credenciada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), e será comercializado pela Terra Livre Agroecológica, que beneficia e vende alimentos orgânicos certificados produzidos por assentamentos rurais em sua maioria organizados pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST).

O termo de cooperação técnica, que viabilizará o intercâmbio para transição agroecológica do arroz vermelho no RN e o termo de garantia de compra de toda a produção de arroz em transição agroecológica serão formalizados neste mês de março.

Foram convidados os agricultores ligados à Associação dos Produtores de Arroz Vermelho (Apave). Atualmente, cerca de 200 famílias produzem arroz na região. A cooperativa gaúcha Bionatur Sementes também participa do intercâmbio, com doação de sementes para o plantio do arroz consorciado a outras culturas.

ARROZ POTIGUAR

O arroz vermelho (ou da terra), usado no tradicional arroz de leite, teve a produção evidenciada desde a implementação do Programa Estadual de Compras Governamentais da Agricultura Familiar e Economia Solidária (Pecafes) e do Programa Estadual de Sementes Crioulas.

As duas iniciativas viabilizaram a aquisição de 225 toneladas desse arroz, de 2019 a 2021, segundo a Sedraf. Ao contextualizar a produção no Vale do Apodi, o secretário Alexandre informou que em 2016 existiam 3 mil hectares com plantio de arroz vermelho, sendo que com o declínio das compras públicas, em 2019 o estado tinha 863 hectares de plantações de arroz. Em articulação com a Secretaria de Estado de Educação e Cultura (Seec), a Sedraf realizou teste de aceitabilidade em escolas, tendo sido constatada a viabilidade de inserção do alimento na merenda escolar.

Mesmo garantindo a aquisição da produção apodiense pelas compras governamentais, o secretário afirmou que não se pode considerar apenas essa modalidade de escoamento da produção como medida de valorização do produto. “Precisamos estimular a inserção do arroz vermelho para a iniciativa privada, por isso a razão de trazer os companheiros do Rio Grande do Sul”, argumentou.

O coordenador nacional do MST, Alexandre Conceição, considera que iniciativas como essas, que se baseiam no sentido de pertencimento de uma tradição, fortalecem ainda mais o trabalho daqueles que atuam nos campos para produzir alimentos de verdade. “Temos de trabalhar para que esse arroz conquiste o coração e a mente dos brasileiros. É uma verdadeira riqueza”, destacou.

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.