Principal, TRABALHO

Professores da rede estadual do RN encerram greve após acordo com governadora Fátima Bezerra

Fim da greve. Em assembleia do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do RN (Sinte/RN), com o pátio da Escola Estadual Winston Churchill cheio, na tarde desta sexta-feira (4), os professores decidiram encerrar o movimento grevista, iniciado em 14 de fevereiro. Após uma série de negociações, os trabalhadores acataram a proposta apresentada pelo Governo do Rio Grande do Norte para implantação do piso salarial de 2022.

O encontro definitivo com o Executivo foi realizado na Governadoria, algumas horas antes da assembleia, com a presença da governadora Fátima Bezerra (PT), de parte do secretariado e de dirigentes sindicais.

O Governo vai ainda levar o acordo ao Núcleo de Ações Coletivas (NAC) do Tribunal de Justiça do RN (TJRN) e vai encaminhar projeto de Lei à Assembleia Legislativa para a implantação linear na carreira.

Confira os detalhes do acordo:

– Para professores que recebem abaixo do valor do Piso 2022 (R$3.845,63 – 40 horas; R$2.884,59 – 30 horas): reajuste de 33,24% em março, retroativo a janeiro.

– Para os demais educadores, que atualmente recebem valor acima do Piso, implantação de percentuais cumulativos, sendo: 15,03% em março; 6% em novembro; e 9,28% em dezembro.

– Retroativo de 15,03%, relativo aos meses de janeiro e fevereiro, pago em nove parcelas, de abril a dezembro de 2022.

– Retroativo do percentual restante pago em 12 parcelas, ao longo de 2023, desde que o pagamento mensal do retroativo fique abaixo de 2,5% da receita corrente líquida do Estado. Caso o percentual ultrapasse os 2,5%, o retroativo será pago em até 18 parcelas, de janeiro de 2023 a junho de 2024.

A coordenadora geral do Sinte/RN, Fátima Cardoso, destacou que a adesão foi de 80% dos profissionais em todo o estado e que a greve contou com diversas atividades. “Isso simboliza todo um trabalho que o sindicato realizou na perspectiva de ter uma definição acerca de como seria implantado o piso para a categoria. A nossa afirmação de não deixar a integralidade e a paridade ser quebrada foi algo que a governadora garantiu desde o início, que ia cumprir o plano de carreira. A greve foi vitoriosa e trouxe uma proposta dentro do possível e que a categoria sabe que a governadora vai cumprir”, afirmou.

A governadora Fátima Bezerra também destacou a paridade como diferencial do estado do Rio Grande do Norte: “O piso dos professores no RN é aplicado de maneira diferente do resto do país. Aqui, todo o magistério recebe o reajuste, com paridade para professores ativos, aposentados e pensionistas, de forma integral e linear. Esse é um direito que tenho o orgulho de ter sido defensora desde a concepção da Lei, a qual fui relatora”. E acrescentou: “Nossa forma de trabalho é de muito diálogo, transparência e honestidade em todas as ações. Nossa prática é escutar todas as vozes, assim fazemos e construímos os caminhos”.

*Atualizada às 17h55.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Isabela Santos é jornalista e repórter da agência Saiba Mais