TRANSPARÊNCIA

Sindicato denuncia alagamentos e suspensão em atendimento de hospital por causa de chuva em Natal

Os 256 milímetros de chuva que caiu em Natal entre as 23h do sábado (5) às 4h da manhã do domingo (6) causaram uma série de transtornos, como casas alagadas, ruas interditadas, mudanças no itinerário de alguns ônibus e o alagamento de algumas unidades de saúde da capital, segundo denúncia do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do RN (Sindsaúde/ RN).

O problema atingiu os corredores, algumas salas e a área externa do hospital Maternidade José Pedro Bezerra, mais conhecido como Santa Catarina, na Zona Norte de Natal, de acordo com denúncia feita pelo Sindsaúde/ RN.

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) explicou que a água das ruas no entorno do hospital desaguou na entrada da unidade, alagando os corredores, estacionamento e parte das instalações, mas que as equipes de manutenção e limpeza foram acionadas, contornando a situação sem prejuízo aos pacientes.

É importante destacar que o Hospital foi construído, há 38 anos, numa parte baixa do bairro, sem escoamento. E, no decorrer dos anos, já foram feitas várias intervenções para minimizar o peso da água sobre o HJPB. Ações como: elevação dos níveis dos portões da recepção e da entrada das duas guaritas, barreiras de terra ao redor dos muros, entre outras intervenções. No entanto, quando a chuva é forte e duradora ocorre situações como a desta madrugada”, relatou a Sesap por meio de nota.

Mas, o Sindsaúde/ RN aponta que denúncias semelhantes também foram recebidas em relação a outras unidades, como o Hospital Municipal de Natal, que teria ficado sem energia no pronto socorro ortopédico das 2h às 8h; o Hospital Geral Dr. João Machado; e o Hospital Central Coronel Pedro Germano (Hospital da PM), cuja UTI teria sido interditada.

A Secretaria Municipal de Saúde de Natal (SMS) informou, por meio de nota, que acionou o departamento de engenharia para avaliar a situação dos hospitais, maternidades e da rede de urgência da capital.

Ainda sobre a denúncia feita pelo Sindsaúde, a SMS disse que não houve necessidade de remoção de nenhum paciente até às 14h, mas que o atendimento do pronto-socorro do hospital dos Pescadores teve quer ser paralisado, tendo sido normalizado após esse horário.

A direção do Sindsaúde/ RN pede que sejam feitas vistorias nas unidades de saúde pelo Governo do Estado, prefeitura de Natal, Vigilância Sanitária e Ministério Público, já que os alagamentos comprometem a saúde dos pacientes e trabalhadores porque tornam esses locais insalubres. Além disso, o contato da água com a fiação elétrica pode gerar choques, conforme ocorreu segundo relatos feitos ao Sindicato.

Vazamento atinge quadro de energia elétrica I Foto: cedida pelo Sindsaúde/ RN

 

Fotos: cedidas pelo Sindsaúde/ RN
Mas, segundo a Sesap, espaços filmados pelo Sindsaúde já teriam sido limpos na manhã desta segunda (7)

Saiba+

Chuva do fim de semana em Natal foi maior do que a da Copa de 2014, quando houve deslizamento de terra em Mãe Luíza

Com rua interditada por causa das chuvas, linhas de ônibus mudam itinerário em Natal

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo