Documentário “Quem Tem Medo?” mostra censura que ator potiguar José Neto Barbosa sofreu
Natal, RN 24 de abr 2024

Documentário “Quem Tem Medo?” mostra censura que ator potiguar José Neto Barbosa sofreu

10 de abril de 2022
4min
Documentário “Quem Tem Medo?” mostra censura que ator potiguar José Neto Barbosa sofreu

Ajude o Portal Saiba Mais a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

A violência e a censura que o ator potiguar José Neto Barbosa sofreu com o monólogo “A Mulher Monstro”, em que é ator, diretor e dramaturgo, estão no documentário “Quem Tem Medo?”, dirigido por Dellani Lima, Henrique Zanoni e Ricardo Alves Jr.

O filme estreou neste final de semana, em São Paulo, no 27º É Tudo Verdade It’s All True 2022 – Festival Internacional de Documentários, considerado um dos maiores do gênero na América Latina, e tem exibições presenciais e online, das 17h do domingo (10) até as 5h da terça (12).

O longa-metragem de 1h11 narra a ascensão da extrema direita no Brasil sob a ótica de artistas que tiveram suas obras censuradas. Além de José Neto Barbosa, aparecem os casos de Wagner Schwartz (SP), Renata Carvalho (SP), Maikon K (PR) e das montagens de “Caranguejo Overdrive” (Aquela Cia de Teatro, RJ) e “RES PUBLICA 2023 (A Motosserra Perfumada, SP).

Em “A Mulher Monstro”, da S.E.M. Cia de Teatro, a personagem expõe a monstruosidade que existe por trás do discurso um fascista e preconceituoso, a partir de falas produzidas por políticos, personalidades famosas e pessoas que José Neto conhece. É inspirado na Mulher Monga dos circos e tem como referência o conto Creme de Alface, de Caio Fernando Abreu, escrito em 1975 durante a ditadura militar e lançado em 1994.

No documentário, ele conta que um grupo bolsonarista chegou a jogar uma pedra em um momento de luz baixa. Por sorte, a jaula da cena o protegeu, mas não do medo e do estresse pós-traumático.

“Foi bom porque o espetáculo aconteceu e incomodou eles, sabe? Quando sai gente da plateia é quando eu atinjo a minha excelência de trabalho, a minha verdade. Eu faço pra o povo sair do espetáculo”, disse. “Um deles levantou e disse: - Isso é teatro ou é política? Aí outra menina disse: - Isso é teatro e política! Eles começaram a discutir no meio da plateia”, conta na entrevista realizada no começo de 2020, pouco antes da pandemia, para entrar no filme que começou a ser filmado em 2017.

José Neto descreve que esse não foi o único caso. Passou ainda por censuras institucionalizadas, foi proibido de se apresentar em alguns lugares no Brasil e perdeu patrocinadores por falar de política. No Paraná, a programação seria no Memorial de Curitiba e, às vésperas, foi informado do cancelamento, apresentando-se posteriormente nas Ruínas de São Francisco.

“É muito significativo ter a minha trajetória e o meu trabalho eternizados no cinema nacional. Principalmente por ser um filme que documenta a luta dos artistas brasileiros contra toda a violência envolvida por trás da palavra censura, contra o crescimento do fascismo e, até mesmo, dos movimentos neonazistas”, avalia, lembrando que o documentário inclui cenas do espetáculo, que existe desde 2016 e ganha novas cenas, performances e falas a cada nova apresentação: “Todos os dias aparecem monstruosidades nos jornais e a gente lida com isso na cena”.

A primeira de uma longa sequência promovida pelo governo Bolsonaro foi a extinção do Ministério da Cultura, lembra o artista.

“Um país sem cultura é um país doente. Hoje vivemos num Brasil onde não há vergonha de ser preconceituoso, intolerante ou violento. Banalizaram a violência. O filme fala de tudo isso. Alegro o coração em saber que esse registro, como denúncia, como manifesto, é mais um passo da nossa história por um país mais livre, artístico e democrático”, conclui o responsável pelo sucesso de “A Mulher Monstro”, premiado Melhor Monólogo (2017) do Teatro Nacional pela Academia de Artes no Teatro do Brasil. Recentemente, venceu os Prêmios Copergás de Melhor Ator e Melhor Espetáculo do Festival Internacional Janeiro de Grandes Espetáculos de Pernambuco (2022). A S.E.M. Cia de Teatro totaliza 25 premiações, menções honrosas e indicações como Melhor Ator e de Direção, entre festivais de teatro e cinema, por esse trabalho.

Confira o trailer de "Quem tem medo?":

[embed]https://www.youtube.com/watch?v=W5wRvYHMaOg[/embed]

Apoiar Saiba Mais

Pra quem deseja ajudar a fortalecer o debate público

QR Code

Ajude-nos a continuar produzindo jornalismo independente! Apoie com qualquer valor e faça parte dessa iniciativa.

Quero Apoiar

Este site utiliza cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.