TRABALHO

Greve da Saúde em Natal completa um mês e sindicatos levam bolo à Prefeitura

Para marcar o “mesversário” da greve unificada da Saúde em Natal, os servidores levaram bolo ao ato realizado nesta quarta-feira (11) em frente à Prefeitura. Sem posicionamento satisfatório da gestão municipal, Sindsaúde/RN, Sindern, Sinfarn e Soern seguem em luta.

Cerca de 350 trabalhadores passaram pela manifestação que terminou com apitaço.

A diretora do Sindsaúde/RN Érica Galvão conta que a proposta do prefeito Álvaro Dias (PSDB) é muito inferior à pauta e os grevistas continuam aguardando a próxima rodada de negociações, após terem protocolado ofício na Secretaria Municipal de Saúde na terça-feira (10).

“Uma década de não implantação de muitos direitos e a proposta não abarca a maior parte das nossas pautas. Ele mandou uma proposta de reajuste bem abaixo do que necessitamos, porém não é só por conta disso que a categoria continua em greve. É também porque ele não apresenta calendário com datas de implantação de adicionais, como insalubridade, quinquênio e adicional noturno. E também a mudança de nível, porque profissionais têm anos de carreira e não têm sequer uma mudança de letra/de nível”, argumentou Érica.

Quanto aos percentuais de aumento salarial, a proposta apresentada oferece a profissionais de nível superior 8% de reajuste; nível médio, 25% e fundamental, “um pouco mais porque está inconstitucional; tem gente que está abaixo do salário mínimo e o aumento iguala”. Outra demanda diz respeito ao fechamento de serviços, como o Hospital Municipal de Natal.

Érica aponta que o secretário Geroge Antunes beneficia uma categoria em detrimento das outras. A prova é que, nesta quarta-feira, os médicos que fazem parte da Cooperativa suspenderam o atendimento SUS em Natal por atraso do pagamento e a negociação foi imediata.

“Ele beneficia uma categoria, um ramo da iniciativa privada, porque a cooperativa é uma empresa, enquanto os servidores que estavam na linha de frente na pandemia, onde morremos aos montes, sem EPI suficientes, sem condições de trabalho, ele vira as costas. Ele que prolonga a greve não negociando”.



Calendário da greve:

Sexta-feira (13)
– Panfletagem entre a loja Ferreira Costa e o Nordestão de Cidade Jardim, às 8h;
– Audiência pública na Câmara Municipal sobre o fechamento do Hospital Municipal de Natal;

Segunda-feira (16)
– Ato público na Câmara Municipal de Natal, às 13h.

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Isabela Santos é jornalista e repórter da agência Saiba Mais