TRANSPARÊNCIA

Pré-candidato a senador pelo PSOL denuncia Fábio Dantas ao MPF por propaganda antecipada

O pré-candidato a senador pelo PSOL, Gláucio Tavares, realizou uma representação como denúncia ao Ministério Público Federal Eleitoral nesta quinta-feira, 5, pedindo a abertura de procedimento de investigação de suposta propaganda eleitoral antecipada eleitoral por parte do pré-candidato ao Governo Fábio Dantas (Solidariedade). Na reclamação, o pré-Gláucio assinala que, conforme fotografia que acompanha a representação, foram confeccionados adesivos com a frase “Fábio Governador”, com uma faixa imperceptível, de letras minúsculas, com menção ao termo “pré-candidato”, divulgando o nome de Fábio Dantas como governador. O que fere a norma proibitiva do art. 3°-A e seguintes da Resolução n° 23.610/2019 do Tribunal Superior Eleitoral.

À reportagem da Agência Saiba Mais, Gláucio disse que “o motivo pela qual entrei com essa representação é querer a lisura no processo eleitoral. Que os candidatos não ´queimem a largada`. Eu sou pré-candidato a senador pelo PSOL, e nós, além de termos pouco espaço na imprensa, não queremos nos sujeitar a adesivos de carros e outras propagandas irregulares de outros candidatos”.

“As regras da legislação eleitoral devem ser respeitadas, posto que esse tipo de propaganda eleitoral em favor do pré-candidato Fábio Dantas configura prática desleal ao processo eleitoral, na medida que candidato que se utiliza de propaganda antecipada, queima a partida, usufruindo da divulgação de sua campanha antes daqueles que cumprem a lei, como o pré-candidato do PSOL a governador Danniel Morais”, completou Tavares.

Sobre o pré-candidato da oposição ao Governo, Gláucio afirmou que “penso que Fábio Dantas é mais um filho de político na política (o pai de Fábio é o ex-prefeito de São José de Mipibu Arlindo Dantas). É mais um representante da política que o Rio Grande do Norte não aguenta mais. Chega de política paternalista de pai para filho, de filho para neto. Além disso, Fábio foi cúmplice no desastre que foi o governo de Robinson Faria”, disse, referindo-se ao fato que Fábio foi vice-governador (à época filiado ao PCdoB) de Robinson Faria, que deixou o governo com alto índice de desaprovação e sequer chegou ao segundo turno em 2018, ficando em terceiro lugar na disputa.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo