DEMOCRACIA

União Brasil pode “perder” dois deputados federais; Agripino luta por sobrevivência política

Partido criado com a fusão do DEM e do PSL, o União Brasil tem ambições altas para conseguir duas ou três cadeiras na Câmara dos Deputados na eleição deste ano. Mas uma análise aprofundada do potencial de votos dos principais nomes da nominata e da matemática do quociente eleitoral mostra que o sonho da legenda recém-fundada pode se tornar um pesadelo para alguns dos envolvidos.

O União Brasil já conta com dois deputados federais: Benes Leocádio (egresso do PTB) e Carla Dickson (ex-PROS​), que tentam reeleição. Contudo, a nominata do partido tem outro nome de peso político: o ex-senador e ex-governador José Agripino Maia, que perdeu a eleição de 2018 para o Senado e amarga a falta de um mandato há quatro anos. Agripino sabe que sua sobrevivência política depende da eleição para a Câmara Federal.

Entretanto, tanto Benes e Carla como Agripino fazem cálculos. Com o quociente eleitoral estimado em 200 mil votos para eleger uma cadeira na Câmara dos Deputados, o partido precisaria de 600 mil votos para não depender de “sobras de votos” que poderiam acabar beneficiando outros partidos. ​Mas a sigla terá dificuldades para tanto. Se em 2018, Benes foi o campeão de votos com 125.841 ​sufrágios, dificilmente ele repetirá este número já que não conta com parte de sua base de apoios, principalmente com Henrique Eduardo Alves, que o apoiou em 2018 mas este ano tentará se eleger deputado federal pelo PSB.

Já Carla Dickson se tornou deputada devido à saída de Fábio Faria (PL) para se tornar ministro das Comunicações. Ela teve 60.590 votos​ em 2018, tendo potencial para aumentar esse número, mas dentro de um teto.​​ ​Já José Agripino, assim como Carla, também só conseguiu a suplência, tendo obtido ​ 64.678 votos​. Considerando a mesma votação de Benes e somada a de Maia e Carla, chegamos a 251.109 votos. Considerando os demais nomes da nominata, ​​Paulinho Freire atual vereador e presidente da Câmara Municipal de Natal, o ex-prefeito de Pau dos Ferros, Leonardo Rêgo, a vereadora de Natal Camila Araújo, a vereadora de Parnamirim Carol Pires, a ex-deputada federal Sandra Rosado e a ex-primeira-dama de Assú, Vanessa Lopes​, o União Brasil tem chances de chegar a 320 mil votos. Número suficiente para eleger um federal e “cruzar os dedos” para outros partidos não atingirem números altos para se beneficiar de uma segunda vaga na “repescagem”. Matemática de alto risco para três políticos que tendem a desaparecer do cenário se ficarem sem mandatos. O partido pode perder os dois deputados que vem, caso só faça um deputado e Agripino consiga ser o mais votado.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo