ENTREVISTA

Pré-candidato ao Governo do RN pelo PSol, Danniel Morais defende contrarreforma da Previdência no estado

Apoiando a eleição de Lula (PT) na Presidência da República, o presidente estadual do PSol no Rio Grande do Norte, Danniel Morais, mostra independência e se apresenta pré-candidato ao governo do estado, como uma alternativa socialista para os eleitores potiguares. Em entrevista ao Programa Balbúrdia desta segunda-feira (27), disse que uma das prioridades é propor uma contrarreforma da Previdência para desfazer a reforma do governo Fátima Bezerra.

“Sem dúvida precisamos construir um projeto contra essa reforma da Previdência. Não é possível que servidores aposentados que ganham acima de 3.500 reais hoje sofram na pele a perda desse direito [a faixa de isenção caiu de R$ 6.101,05 para R$ 3.500 e o percentual da contribuição subiu de 11% para 18%, dependendo da remuneração], quando nós sabemos que existem tantas outras reformas a serem feitas, mas a primeira, dita como necessária foi aquela que ataca os direitos dos trabalhadores”, declarou, alertando que também está alerta à reforma da Previdência que o prefeito de Natal, Álvaro Dias (PSDB) enviará à Câmara Municipal nos próximos dias.

“Nós não vamos nos calar nem baixar o tom do nosso discurso sobre isso. E Álvaro Dias é um filhote do Carlos Eduardo, dito hoje como um pré-candidato a senador de esquerda. Isso mostra que a política no Rio Grande do Norte tem espaço sim pra gente debater e pra gente apresentar propostas”, afirma Danniel, que tem 39 anos, é administrador, cursa Direito na Uern e foi candidato a deputado federal em 2018.

Ainda sem nome de vice, aponta para uma chapa “puro-sangue”, apenas como PSol, além de ter a pré-candidatura de Freitas Júnior, para o Senado, e nominata para a Assembleia Legislativa e Câmara Federal.

Para Danniel, o PSol chegará à campanha de 2022 de uma forma radical, integral e apresentando o Socialismo como ferramenta de transformação para o estado. Lembra que, na atual legislatura, um mandato de deputado estadual [Sandro Pimentel] sofreu um golpe e isso reforça a necessidade de a esquerda ocupar os espaços de poder.

“A gente perdeu um mandato para um partido da Direita, um representante do conservadorismo e nessa condição a gente apresenta uma pré-candidatura que tá disposta a discutir os problemas do Rio Grande do Norte como eles são”, expõe, ao mencionar que as questões socioambientais que envolvem a instalação de parques eólicos é algo que precisa ter atenção do governo em uma “discussão justa, necessária e honesta”.

“O PSol trará ao Rio Grande do Norte a discussão de um marco sobre a exploração das energias ditas como renováveis, isso é necessário que a gente faça. A gente não pode simplesmente comprar esse discurso e achar que o Rio grande do Norte vai resolver os problemas do Brasil sem a gente conseguir resolver os nossos problemas”, avalia.

Veja entrevista completa:

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Isabela Santos é jornalista e repórter da agência Saiba Mais