CIDADANIA

Importunação sexual contra jovens entre 12 e 17 anos cresce 213% no RN

Homem tira foto de partes íntimas de menina I Imagem: divulgação Polícia Civil

Apenas nesta semana, pelo menos três casos envolvendo estupro e importunação sexual de vulnerável tornaram-se públicos no Rio Grande do Norte. Os crimes ocorreram em espaços públicos de muita circulação, como shoppings e supermercados. Pelos dados estatísticos da Coordenadoria de Informações Estatísticas e Análises Criminais (Coine), no caso de importunação sexual, a maior quantidade de vítimas está na faixa etária que vai dos 12 aos 17 anos, cujos casos passaram de 15, no primeiro semestre de 2021, para 47 no mesmo período de 2022, o que representa um aumento de 213,3%.

Ao todo, os casos de importunação sexual aumentaram 97,8% no primeiro semestre deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado. No caso das crianças entre 0 e 11 anos, foram registrados 6 casos em 2021 e 15 em 2022 (aumento de 150%). Já entre jovens com idade dos 18 aos 24 anos, foram 27 casos no ano passado e 40 em 2022 (aumento de 40%). Na faixa entre os 25 e 29 anos, os casos passaram de 7 para 18 (aumento de 157%); entre as pessoas dos 30 aos 34 anos, foram registrados 11 casos no primeiro semestre de 2021 e 22 no mesmo período de 2022 (aumento de 100%); e na faixa dos 35 aos 64 anos, os registros passaram de 21 para 30 (alta de 42,9%).

Ainda sobre os casos de importunação sexual, houve queda apenas no registro da faixa etária das pessoas com 65 anos de idade ou mais. Foram dois casos registrados em 2021 e um em 2022, o que representa uma baixa de 50%.

Segundo a Coine, entre 2020 e 2021, o número de estupros de vulnerável no RN passou de 380 para 438. Mesmo considerando apenas os dados de janeiro a junho, os casos continuam apontando uma tendência de alta. No total, foram registrados 171 casos no primeiro semestre de 2020, 212 em 2021 e 213 no mesmo período de 2022.

Estupro – Também houve aumento dos casos de estupro no Rio Grande do Norte, que passaram de 299 entre janeiro e junho de 2021 para 321 no mesmo período de 2022. Em janeiro os casos passaram de 45 para 36, em fevereiro de 33 para 41, em março de 42 para 75, em abril de 60 para 47, em maio de 59 para 62 e em junho de 60 para 51.

Relembre:

CASO 1: No início da semana, uma mãe denunciou um homem que filmou as partes íntimas da filha enquanto ela estava acompanhada do pai fazendo as compras do material escolar. Foram os seguranças da loja, localizada em um shopping da zona sul de Natal, que perceberam a ação do suspeito. Ele conseguiu fugir do local.

CASO 2: Na quinta (28), a Polícia Civil divulgou um vídeo com imagens de câmeras de segurança fornecidas por um shopping localizado na zona sul de Natal, com o objetivo de identificar o suspeito de um crime de estupro de vulnerável. O crime aconteceu em um sábado, dia 09 deste mês, por volta das 18h30min. O suspeito teria obrigado um menino de 10 anos a praticar atos sexuais com ele no interior de um banheiro de um shopping na zona sul de Natal. Pelas imagens colhidas pela equipe de investigação da Delegacia Especializada na Proteção da Criança e do Adolescente de Natal (DPCA), é possível verificar que o suspeito permaneceu 32 minutos no interior do banheiro e que ele deixa o local vestindo uma camisa diferente daquela que estava usando quando entrou.

CASO 3: Um homem foi preso na quarta (27) por importunação sexual contra uma adolescente de 13 anos na praça de alimentação de um supermercado em Macaíba, na região metropolitana de Natal (RN). Ele foi solto no dia seguinte, depois de uma audiência de custódia. No entanto, ao assistir o vídeo do circuito se segurança, os responsáveis pela investigação notaram que o acusado toca as partes íntimas e, com isso, consuma o ato. Diante da constatação, o delegado afirmou que faria pedido de prisão preventiva. Nós tentamos contato com a assessoria da Polícia Civil para atualizar o caso, mas até a publicação da matéria, não conseguimos retorno.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo