DEMOCRACIA

Mapa eleitoral dos estados: confira quem lidera as pesquisas a um mês do início da campanha. Melhor cenário do PT é no RN

Igor Carvalho – Brasil de Fato

A um mês do início oficial das campanhas eleitorais, marcado para 16 de agosto, o Brasil de Fato fez um levantamento sobre o cenário das disputas eleitorais, para entender o perfil dos líderes das pesquisas e como a conjuntura local pode influenciar a disputa presidencial.

Para essa análise, o Brasil de Fato optou por utilizar pesquisas realizadas pelos institutos Datafolha, Quaest e RealTime Big Data. Em dois estados, Roraima e Paraíba, não houve levantamento.

No Amapá e Rondônia, somente a RealTime Big Data realizou pesquisas. Porém, elas foram embargadas pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) local. No primeiro, a pedido do PDT, partido do atual governador, Waldez Góes, que apoiará Clécio Luis (Solidariedade). O partido alegava que as perguntas induziam a resposta no pré-candidato Jaime Nunes (PSD).

Em Rondônia, atendendo uma provocação do PL, do pré-candidato e senador Marcos Rogério, o TRE-RO suspendeu a pesquisa da RealTime Big Data, pois o relatório final do levantamento não mostrava a relação de bairros em que o questionário foi aplicado.

A pesquisa chegou a ser divulgada e mostrava Marcos Rogério em segundo, com 18%, atrás de Marcos Rocha (União Brasil), atual governador do estado, que acumula 32%.

Equilíbrio

O levantamento mostra um equilíbrio na distribuição de aliados dos principais presidenciáveis que lideram pesquisas em seus estados. O presidente Jair Bolsonaro (PL) já tem acordo de apoio mútuo em oito estados. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), garantiu palanques em outros seis.

Em sete estados – Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Mato Grosso do Sul, Pará e Piauí – os acordos ainda não foram selados ou dependem de anúncios oficiais. No Rio de Janeiro, há um empate técnico entre o bolsonarista Cláudio Castro (PL) e o lulista Marcelo Freixo (PSB).

Somente em Minas Gerais, o líder das pesquisas, Romeu Zema (Novo), não apoiará Lula ou Bolsonaro. Neste caso, o eleito é o pré-candidato Felipe D’Ávilla, presidenciável do Novo.

Somente ACM Neto (União Brasil), na Bahia, e Helder Barbalho (MDB), no Pará, ganhariam no primeiro turno, de acordo com as pesquisas eleitorais realizadas em seus estados.

 

Confira o levantamento na íntegra:

RIO GRANDE DO NORTE

RealTime BigData: 28 de junho

Fátima Bezerra (PT) – 39%
Styvenson Valentim (Podemos) – 14%
Fábio Dantas (Solidariedade) – 12%
Clorisa Linhares (PMB) – 3%
Wesli Natal Zuera (DC) – 1%
Rosália Fernandes (PSTU) – 1%
Danniel Morais (PSOL) – 0%

Pré-candidata à reeleição, Fátima Bezerra é a petista com o cenário mais favorável nas disputas pelos governos estaduais. De acordo com a pesquisa RealTime Big Data de 28 de junho, a atual governadora aparece com 39% das intenções de voto. Distante, com 14%, aparece Styvenson Valentim (Podemos) em segundo lugar.

ACRE

RealTime Big Data: 07 de junho

Gladson Cameli (PP): 41%
Mara Rocha (MDB): 17%
Sérgio Petecão (PSD): 14%
Jenilson Leite (PSB): 11%
Nilson Euclides (PSOL): 0%
David Hall (Avante): 0%

Gladson Cameli é o atual governador do Acre e concorre à reeleição pelo PP. Bolsonarista desde 2018, o pré-candidato terá o atual presidente em seu palanque. Há um impasse sobre a candidatura petista ao governo do Acre. Jorge Viana, que em 8 de março deste ano aparecia em segundo na pesquisa RealTime Big Data, com 22%, contra 44% de Cameli, é pré-candidato ao Senado, mas não descarta disputar a eleição majoritária no estado.

ALAGOAS

RealTime Big Data: 06 de julho

Paulo Dantas (MDB): 26%
Fernando Collor (PTB): 20%
Rodrigo Cunha (União Brasil): 20%
Rui Palmeira (PSD): 13%
Cícero Albuquerque (PSOL): 1%
Mônica Carvalho (SD): 1%
Régis Cavalcante (Cidadania): 1%

Após as renúncias do governador Renan Filho (MDB), que concorrerá ao Senado no estado, e da vice-governadora Luciana Barbosa (MDB), ainda em 2020, para disputar a prefeitura de Maceió, os alagoanos estavam sem um chefe do Executivo. Então, em eleição indireta na Assembleia Legislativa, com apoio da família Calheiros e de Lula, Dantas foi eleito para governar Alagoas até 31 de dezembro.

O atual governador recebeu Lula em Alagoas, no dia 18 de junho, e discursou em evento da pré-campanha do petista. O senador Fernando Collor (PTB) é o eleito por Bolsonaro para representá-lo no estado.

AMAPÁ

Houve apenas uma pesquisa, feita pelo Real Time Big Data, mas sua divulgação foi suspensa pela Justiça. De acordo com o TRE local, o questionário induzia os entrevistados a optarem por Jaime Nunes (PSD), um dos pré-candidatos ao governo do estado.

AMAZONAS

Real Time Big Data: 11 de abril

Amazonino Mendes (Cidadania): 29%
Wilson Lima (União Brasil): 23%
Eduardo Braga (MDB): 17%
Ricardo Nicolau (Solidariedade): 6%
Henrique Oliveira (Podemos): 4%
Carol Braz (PDT): 3%
Marcelo Amil (PSOL): 1%

Líder das pesquisas, Amazonino Mendes (Cidadania) fugiu da polarização entre Lula e Bolsonaro e anunciou apoio à candidatura de Pablo Marçal (PROS), que nas principais pesquisas de intenção de votos não tem passado de 1%. Em segundo está Wilson Lima (União Brasil), pré-candidato apoiado por Bolsonaro.

BAHIA

Genial/Quaest: 18 de maio

ACM Neto (União Brasil) – 67%
Jerônimo Rodrigues (PT) – 6%
João Roma (PL) – 5%
Kleber Rosa (PSOL) – 1%
Giovani Damico (PCB) – 0

RealTime Big Data: 11 de julho

ACM Neto (União Brasil) – 56%
Jerônimo Rodrigues (PT) – 18%
João Roma (PL) – 10%
Kleber Rosa (PSOL) – 1%
Giovani Damico (PCB)

Na Bahia, ACM Neto (União Brasil) caminha tranquilamente para uma vitória ainda no primeiro turno. O ex-prefeito de Salvador aparece à frente nas duas pesquisas mais recentes realizadas no estado, Genial/Quaest (67%), divulgada em 18 de maio, e RealTime Big Data (56%), de 11 de julho. Neto decidiu não se comprometer com as duas principais pré-candidaturas à Presidência da República, Lula e Bolsonaro. O ex-prefeito de Salvador tem flertado com Ciro Gomes (PDT), mas ainda não anunciou oficialmente o apoio ao pedetista.

CEARÁ

Qaest: 28 de junho

Capitão Wagner (União Brasil) – 44%
Roberto Cláudio (PDT) – 40%

RealTime Big Data: 15 de junho

Capitão Wagner (União Brasil) – 40%
Roberto Cláudio (PDT) – 35%
Adelita Monteiro (PSOL) – 2%
Serley Leal (UP) – 0%

Capitão Wagner (União Brasil), que lidera as pesquisas no Ceará, vive um impasse com o apoio declarado de Jair Bolsonaro (PL). O presidente da República tem a maior rejeição no estado, 55%, de acordo com a última pesquisa do Datafolha, em 24 de junho.

Por conta disso, Wagner tenta descolar sua imagem do presidente da República e ainda não há data para que o mandatário seja recebido em solo cearense. O impasse pode custar o palanque do Ceará para Bolsonaro e o atual líder talvez se declare isento.

DISTRITO FEDERAL

RealTime Big Data: 08 de junho

Ibaneis Rocha (MDB) – 28%
José Roberto Arruda (PL) – 17%
José Antônio Reguffe (União Brasil) – 16%
Leila Barros (PDT) – 5%
Leandro Grass (PV) – 4%
Keka Bagno (Psol) – 1%
Rafael Parente (PSB) – 1%
Lucas Salles (DC) – 0%

Atual governador e pré-candidato à reeleição, Ibaneis Rocha (MDB) lidera as intenções de voto no Distrito Federal. Com aliança costurada pelo ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP), o atual mandatário terá o apoio de Jair Bolsonaro, que emplacou Damares Alves (Republicanos) na chapa, como pré-candidata ao Senado.

ESPÍRITO SANTO

RealTime Big Data: 25 de maio

Renato Casagrande (PSB): 44%
Carlos Manato (PL): 12%
Fabiano Contarato (PT): 12%
Audifax Barcelos (Rede): 6%
Felipe Rigoni (União Brasil): 3%
César Colnago (PSD): 3%
Erick Musso (Republicanos): 3%
Aridelmo Teixeira (Novo): 1%

Em entrevista na última segunda-feira (11), Renato Casagrande (PSB), governador e pré-candidato à reeleição no Espírito Santo, declarou que em outubro vai “apertar 13 na urna” e, assim, abriu o palanque para o PT no estado. Os petistas aproveitaram a carona de Casagrande, que lidera com ampla folga a disputa no estado, e anunciaram nesta sexta-feira (15) a retirada da pré-candidatura do senador Fabiano Contarato (PT) ao governo local.

GOIÁS

RealTime Big Data: 23 de junho

Ronaldo Caiado (União Brasil) – 34%
Marconi Perillo (PSDB) – 19%
Gustavo Mendanha (União Brasil) – 18%
Major Vitor Hugo (PL) – 9%
Wolmir Amado (PT) – 8%
Cintia Dias (PSOL) – 1%
Helga Martins (PCB) – 1%
Edigar Diniz (Novo) – 0

Ronaldo Caiado (União Brasil), governador e pré-candidato à reeleição em Goiás, segue confortável na liderança das pesquisas de intenção de voto. Ele aparece à frente nos dois levantamentos feitos pela RealTime Big Data. No último, divulgado dia 23 de junho, com 34%. Atrás, está Marconi Perillo (PSDB), com 19%.

Caiado mantém uma aliança com Jair Bolsonaro desde a eleição de 2018, quando o apoiou no estado. Apesar das divergências – o governador chegou a ser vaiado em um evento ao lado do presidente -, a aliança pode ser mantida para 2022. No entanto, nenhum dos dois lados fez ainda um anúncio oficial.

MARANHÃO

RealTime Big Data: 22 de junho

Weverton Rocha (PDT) – 24%
Carlos Brandão (PSB) – 22%
Lahesio Bonfim (PTC) – 13%
Edivaldo Holanda Jr (PSD) – 12%
Simplício Araújo (SD) – 1%
Enilton Rodrigues (PSOL) – 0%
Hertz Dias (PSTU) – 0%

Após oito anos de governo de Flávio Dino (PSB), que agora lidera com folga as pesquisas para o Senado, há uma disputa pelo apoio petista entre os dois principais postulantes ao cargo de governador do Maranhão. Wewerton Rocha (PDT), que lidera, com 24%, de acordo com o único levantamento da RealTime Big Data no estado, divulgada no dia 22 de junho, já sinalizou que quer o apoio de Lula.

Com 22% das intenções de voto, o principal oponente de Rocha é Carlos Brandão (PSB), ex-vice governador do estado no segundo mandato de Flávio Dino, que agora o apoia para o cargo. O socialista também tem cortejado o apoio de Lula, que ainda não declarou quem apoiará na corrida eleitoral maranhense.

MATO GROSSO

RealTime Big Data: 14 de junho

Mauro Mendes (União Brasil) – 43%
Procurador Mauro (PSOL) – 9%
Victório Galli (PTB) – 6%

O pré-candidato de Bolsonaro ao governo do Mato Grosso é o atual governador Mauro Mendes (União Brasil), que caminha com tranquilidade para uma vitória ainda no primeiro turno. Divulgada no dia 14 de junho, a pesquisa da RealTime Big Data mostra a liderança do bolsonarista com 43%, seguido pelo Procurador Mauro (PSOL), com 9%. A federação formada por PT, PV e PCdoB apresentará seu candidato durante as convenções partidárias, que ocorrem entre 20 de julho e 5 de agosto.

Bolsonaro já declarou estar “100% fechado com Mauro Mendes”. O governador tem dito, à base aliada no estado e em entrevistas, que apoiará o atual presidente.

MATO GROSSO DO SUL

RealTime Big Data: 14 de junho

Marquinhos Trad (PSD) – 22%
André Pucinelli (MDB) – 21%
Rose Modesto (União Brasil) – 15%
Capitão Contar (PRTB) – 9%
Eduardo Riedel (PSDB) – 8%
Gisele Marques (PT) – 2%
Luhhara Arguello (PSOL) – 0%

Há um empate técnico na disputa pelo governo do Mato Grosso do Sul. O ex-prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), aparece com 22%, mas seguido de perto pelo ex-governador André Puccineli (MDB), que tem 21%. Ambos, ainda não receberam apoio formal de pré-candidatos à presidência.

Embora Simone Tebet (MDB), pré-candidata à presidência, seja o principal nome da política no Mato Grosso do Sul, seu partido, com apoio de Puccineli, decidiu liberar o apoio a Lula e Bolsonaro, enfraquecendo ainda mais a candidatura da senadora ruralista.

MINAS GERAIS

Datafolha: 1 de julho

Romeu Zema (Novo) – 48%
Alexandre Kalil (PSD) – 21%
Carlos Viana (PL) – 4%
Vanessa Portugal (PSTU) – 3%
Miguel Corrêa (PDT) – 2%
Renata Regina (PCB) – 2%
Marcus Pestana (PSDB) – 1%
Saraiva Felipe (PSB) – 1%
Lorene Figueiredo (PSOL) – 1%

Qaest: 8 de julho

Romeu Zema (Novo) – 44%
Alexandre Kalil (PSD) – 26%
Carlos Viana (PL) – 2%
Vanessa Portugal (PSTU) – 1%
Renata Regina (PCB) – 1%
Miguel Corrêa (PDT) – 1%
Marcus Pestana (PSDB) – 1%
Lorene Figueiredo (PSOL) 1 – %

RealTime Big Data: 30 de maio

Romeu Zema (Novo) – 43%
Alexandre Kalil (PSD) – 29%
Carlos Viana (PL) – 7%
Marcus Pestana (PSDB) – 3%
Miguel Corrêa (PDT) – 1%
Saraiva Felipe (PSB) – 1%
Lorene Figueiredo (PSOL) – 1%
Renata Regina (PCB) – 0

As pesquisas divulgadas por Datafolha, Qaest e RealTime Big Data mostram o governador Romeu Zema (Novo), pré-candidato à reeleição, com tranquilidade na liderança da corrida eleitoral, com 48%, 44% e 43%, respectivamente. O novista mantém apoio ao pré-candidato de seu partido à presidência, Luiz Felipe D’Ávilla, que aparece com poucas possibilidades de vitória no pleito ao Palácio do Planalto.

Apesar do formal apoio a D’Ávilla, Zema mantém um flerte com Bolsonaro, que quer captar o potencial eleitoral do novista. O ex-prefeito Alexandre Kalil (PSD), que aparece em segundo nas pesquisas, com 21%, 26% e 29%, respectivamente, já fechou o apoio de Lula no estado.

PARANÁ

RealTime Big Data: 27 de junho

Ratinho Júnior (PSD) – 42%
Roberto Requião (PT) – 16%
Flávio Arns (Podemos) – 5%
César Silvestri Filho (PSDB) – 3%
ngela Machado (PSOL) – 1%
Solange Ferreira Bueno (PMN) – 0%

O atual governador do Paraná e pré-candidato à reeleição, Ratinho Júnior (PSD), aparece com 42% das intenções de voto na única pesquisa da RealTime Big Data no estado. Roberto Requião (PT), ex-governador paranaense, surge em segundo, com 16%.

Ratinho Júnior tem uma relação próxima com Bolsonaro, que costuma chamar o governador de “presidente do Paraná”. Em seu palanque, o pré-candidato do PSD quer conciliar dois inimigos da política brasileira, o ex-juiz Sérgio Moro e Jair Bolsonaro.

PARAÍBA

Quaest, RealTime Big Data e Datafolha ainda não realizaram pesquisas no estado.

PARÁ

RealTime Big Data: 18 de abril

Helder Barbalho (MDB): 60%
Zequinha Marinho (PL): 7%
Fernando Carneiro (PSOL): 3%
Cléber Rabelo (PSTU): 1%

Helder Barbalho (MDB), atual governador e pré-candidato à reeleição no Pará, é quem tem a maior diferença para o segundo colocado, nas eleições estaduais do país. De acordo com a pesquisa da RealTime Big Data, publicada em 18 de abril, o atual mandatário aparece com 60%, seguido por Zequinha Marinho (PL), com 7%, Fernando Carneiro (PSOL), com 3%, e Cléber Rabelo (PSTU), 1%.

No estado, Barbalho construiu uma ampla aliança, que pode englobar até 20 partidos. Entre eles, o PT, o que poderia garantir o palanque do atual governador para Lula. Porém, o MDB tem pré-candidata ao Palácio do Planalto, Simone Tebet, e isso pode travar a aliança. Zequinha Marinho, do PL, é o bolsonarista que concorre na disputa eleitoral do estado.

PERNAMBUCO

RealTime Big Data: 27 de junho

Marília Arraes (Solidariedade) – 27%
Raquel Lyra (PSDB) – 18%
Anderson Ferreira (PL) – 12%
Danilo Cabral (PSB) – 10%
Miguel Coelho (União Brasil) – 10%
João Arnaldo (PSOL) – 1%
Wellington Carneiro (PTB) – 1%
Jones Manoel (PCB) – 1%
Esteves Jacinto (PRTB) – 0
Jadilson Bombeiro (PMB) – 0
Claudia Ribeiro (PSTU) – 0

O cenário para Lula em Pernambuco é confortável, apesar da saia justa imposta pela proximidade com mais de um candidato. Ex-petista, a deputada federal e pré-candidata a governadora Marília Arraes (Solidariedade), que lidera as intenções de voto, com 27%, de acordo com a pesquisa RealTime Big Data de 27 de junho, tem utilizado a imagem do presidenciável em sua campanha.

Além de Marília Arraes, Lula conta, ainda, com o palanque do pré-candidato Danilo Cabral (PSB), que aparece com 12% e é do mesmo partido que Geraldo Alckmin (PSB), pré-candidato a vice-presidente da República, na chapa com o petista.

Cabral é quem recebe oficialmente o apoio petista para a eleição ao governo de Pernambuco e tem dito que pretende “liderar o time de Lula” no estado. Entre o pessebista e Arraes, está Raquel Lyra (PSDB), ex-prefeita de Caruaru, com 18%.

PIAUÍ

RealTime Big Data: 21 de junho

Silvio Mendes (União Brasil) – 39%
Rafael Fonteles (PT) – 26%
Major Diego Melo (PL) – 4%
Gessy Fonseca (PSC) – 2%
Alessander Mendes (Podemos) – 2%
Wallace Miranda (Novo) – 1%
Ravenna Castro (PMN) – 1%
Madalena Nunes (PSOL) – 1%
Venício do Ó (PTB) – 0%
Gustavo Henrique (Patriota) – 0%
Geraldo Carvalho (PSTU) – 0%

O ex-prefeito de Teresina, Silvio Mendes (União Brasil), aparece em primeiro, de acordo com levantamento da RealTime Big Data de 21 de junho, com 39%. Atrás, está Rafael Fonteles (PT), com 26%.

O cenário é complexo para os bolsonaristas no estado. Mendes, que tem ligação com Bolsonaro, não pretende assumir o apoio do presidente, que acumula 70% de rejeição no Piauí. O pré-candidato natural do grupo, então, é o Major Diego Melo (PL), que está com apenas 4% das intenções de voto. O PT aposta na ascensão de Rafael Fonteles, apoiado pelo ex-governador petista Welligtnon Dias e Lula.

RIO DE JANEIRO

RealTime Big Data: 29 de junho

Cláudio Castro (PL) – 26%
Marcelo Freixo (PSB) – 23%
Rodrigo Neves (PDT) – 10%
Cyro Garcia (PSTU) – 2%
Paulo Ganime (Novo) – 1%
Felipe Santa Cruz (PSD) – 1%
Eduardo Serra (PCB) – 1%
Emir Laranjeira (PMB) – 0%

Datafolha: 1 de julho

Marcelo Freixo – 22%
Cláudio Castro – 21%
Anthony Garotinho – 7%
Rodrigo Neves – 6%
Eduardo Serra – 5%
Cyro Garcia – 4%
Coronel Emir Larangeira – 2%
Paulo Ganime – 2%
Felipe Santa Cruz – 2%

Quaest: 14 de julho

Cláudio Castro (PL) – 24%
Marcelo Freixo (PSB) – 22%
Anthony Garotinho (União) – 6%
Rodrigo Neves (PDT) – 6%
Cyro Garcia (PSTU) – 2%
Felipe Santa Cruz (PSD) – 2%
Eduardo Serra (PCB) – 2%
Paulo Ganime (Novo) – 1%
Coronel Emir Larangeira (PMB) – 1%

O Rio de Janeiro concentra uma das brigas mais acirradas entre bolsonaristas e lulistas. A depender do instituto de pesquisa, Cláudio Castro (PL) e Marcelo Freixo (PSB) alternam na liderança da corrida eleitoral pelo Palácio das Laranjeiras.

RealTime Big Data e Quaest garantem a liderança para Castro, que é apoiado por Jair Bolsonaro, com 26% e 24%, respectivamente. Freixo, pré-candidato lulista, aparece com 23% e 22%.

No Datafolha, Freixo está na dianteira, com 22%, e Castro soma 21%. Em todos os cenários, está configurado um empate técnico entre as duas pré-candidaturas.

RIO GRANDE DO SUL

RealTime Big Data: 27 de junho

Onyx Lorenzoni (PL): 23%
Edegar Pretto (PT): 7%
Ranolfo Vieira Jr (PSDB): 7%
Beto Albuquerque (PSB): 6%
Pedro Ruas (PSOL): 6%
Luiz Carlos Heinze (PP): 6%
Vieira da Cunha (PDT): 3%
Gabriel Souza (MDB): 2%
Roberto Argenta (PSC): 1%
Ricardo Jobim (Novo): 0%
Marco Della Nina (Patriota): 0%

Ex-ministro, Onyx Lorenzoni (PL), que é apoiado por Jair Bolsonaro, lidera a corrida eleitoral pelo governo do Rio Grande do Sul, com 23%, de acordo com a RealTime Big Data, de 27 de junho.

Ainda tranquila, a liderança de Lorenzoni pode ser ameaçada por uma aliança de PT e PSB no estado. Isso porque, Edegar Pretto (PT), com 7%, e Beto Albuquerque (PSB), 6%, devem anunciar uma chapa conjunta até o início das convenções partidárias, marcada para 20 de julho.

RONDÔNIA

Quaest e Datafolha não realizaram levantamentos no estado. RealTime Big Data produziu uma única pesquisa, que chegou a ser divulgada em 16 de junho, mas foi embargada pelo TRE local.

RORAIMA

RealTime Big Data: 07 de julho

Teresa Surita (MDB) – 47%
Antônio Denarium (PP) – 36%
Rudson Leite (PV) – 1%
Fabio Gonçalves de Almeida (Psol) – 1%
Juraci Francisco dos Santos (PDT) – 0%

A ex-prefeita de Boa Vista, Teresa Surita (MDB), aparece com 47% das intenções de voto, na pesquisa da RealTimeBig Data de 6 de julho, para o governo de Roraima. Ela está na frente do atual governador, Antônio Denarium (PP), que marca 36% em sua busca pela reeleição.

No estado, os dois líderes na corrida eleitoral buscam o apoio de Jair Bolsonaro. Denarium foi aliado do presidente na campanha vitoriosa de 2018. Por fora, Valdemar da Costa Neto, que preside o PL, partido do presidente, tem se encontrado com Teresa Surita para falar de eleições e pretende fechar uma aliança da legenda com a pré-candidata no estado.

Bolsonaro ainda não decidiu qual será seu escolhido no estado.

SANTA CATARINA

RealTime Big Data: 18 de maio

Carlos Moisés (Republicanos): 18%
Jorginho Mello (PL): 14%
Gean Loureiro (União Brasil): 12%
Espiridião Amin (PP): 9%
Décio Lima (PT): 9%
Antídio Lunelli (MDB): 4%
Dário Berger (PSB): 4%
Gelson Merísio (Solidariedade): 3%
Odair Tramontin (Novo): 2%
Ralf Zimmer (Pros): 2%

Santa Catarina é o estado onde Bolsonaro está mais confortável. Os dois líderes, o atual governador Carlos Moisés (Republicanos), 18%, e o senador Jorginho Mello (PL), 14%, são aliados de primeira fileira do presidente da República e disputam o palanque do mandatário no estado.

A corrida eleitoral no estado está aberta. Gean Loureiro (União Brasil), 12%, o senador Espiridião Amin (PP), 9%, e o presidente catarinense do PT Décio Lima, 9%, aparecem muito próximos e ameaçando os dois líderes indicados pela RealTime Big Data.

Como a margem de erro da pesquisa é de 3%, para mais e menos, há um empate técnico entre Mello, Loureiro, Amin e Lima.

SERGIPE

Quaest, RealTime Big Data e Datafolha ainda não realizaram pesquisas no estado.

SÃO PAULO

RealTime Big Data: 11 de julho

Fernando Haddad (PT): 34%
Tarcísio de Freitas (Republicanos): 20%
Rodrigo Garcia (PSDB): 16%
Vinícius Poit (Novo): 2%
Abraham Weintraub (PMB): 1%
Elvis Cezar (PDT): 1%
Felício Ramuth (PSD): 0%
Altino Júnior (PSTU): 0%
Gabriel Colombo (PCB): 0%

Quaest: 07 de julho

Fernando Haddad (PT) – 29%
Márcio França (PSB) – 18%
Tarcísio de Freitas (Republicanos) – 12%
Rodrigo Garcia (PSDB) – 8%
Felicio Ramuth (PSD) – 1%
Vinicius Poit (Novo) – 1%
Gabriel Colombo (PCB) – 1%
Abraham Weintraub (PMB) – 1%
Elvis Cezar (PDT) – 1%
Altino Junior (PSTU) – 0%

Datafolha: 30 de junho

Fernando Haddad (PT): 28%
Márcio França (PSB): 16%
Tarcísio Gomes de Freitas (Republicanos): 12%
Rodrigo Garcia(PSDB): 10%
Felício Ramuth (PSD): 2%
Gabriel Colombo (PCB): 2%
Vinicius Poit (Novo): 1%
Abraham Weintraub (PMB): 1%
Altino Junior (PSTU): 1%
Elvis Cezar (PDT): 1%

As pesquisas realizadas por Quaest e Datafolha para o governo de São Paulo ainda previam a pré-candidatura de Márcio França (PSB), que abandonou o pleito para se candidatar por uma cadeira no Senado. Neste cenário, o petista lidera com 29% e 28%, respectivamente. Nas duas, o pessebista aparece em segundo, com 18% e 16%.

Na pesquisa da RealTime Big Data, divulgada em 11 de julho, já sem o nome de França, Haddad amplia sua diferença para o segundo colocado, o ex-ministroTarcísio Freitas (PL). O petista aparece com 34% e o bolsonarista soma 20%.

TOCANTINS

RealTime Big Data: 4 de julho

Ronaldo Dimas (Podemos): 26%
Wanderlei Barbosa (Republicanos): 22%
Paulo Mourão (PT): 5%
Osires Damasco (PSC): 4%
Laurez Moreira (PDT): 4%
Ataídes Oliveira (Pros): 2%

O ex-prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas (Podemos), que lidera as intenções de voto para o governo do Tocantins com 26%, corre para fechar o apoio do presidente Jair Bolsonaro até o início oficial das eleições, em 16 de julho. Concorre ao suporte presidencial o segundo colocado na corrida eleitoral, o atual governador do estado, Wanderlei Barbosa (Republicanos), que aparece com 22%.

Bolsonaro ainda não declarou qual pré-candidatura apoiará para o governo local.

 

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo