CIDADANIA

RN tem aumento no número de registros de arma de fogo e queda nas apreensões

Bolsonaro durante comício no Acre em 2018 fala em "fuzilar a petralhada" I Imagem: reprodução redes sociais

No Brasil, entre 2018 e 2021, o registro de armas de fogo passou de 39 mil para 163,7 mil nos 16 estados onde Bolsonaro (PL) teve maioria, o que representa uma alta de 320%. O presidente venceu no segundo turno no Acre, Amazonas, Amapá, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio de Janeiro, Rondônia, Roraima, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

Já nos outros 11 estados onde Haddad (PT) teve maioria no segundo turno das eleições passadas, também houve alta no registro de arma de fogo, mas numa proporção bem menor. O número passou de 12 mil para 38,8 mil, o que representa uma alta de 223%. O petista venceu em Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe e Tocantins.

Levando em conta que nos estados onde Jair Bolsonaro venceu há 145,3 milhões de habitantes, foi registrada uma média de uma arma nova para cada 1.700 pessoas. Entre os 68 milhões de habitantes onde Haddad venceu, há um novo registro para cada 3.600 pessoas no primeiro semestre de 2022. Os dados, foram conseguidos pela Folha de São Paulo junto à Polícia Federal através da Lei de Acesso à Informação (LAI), já as estatísticas sobre número de habitantes foram fornecidas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e estatística (IBGE).

Apreensões caem

Se por um lado aumentou o número de armas de fogo em circulação no país, por outro, o número de apreensões caiu entre os anos de 2020 e 2021, segundo o Anuário Brasileiro da Segurança Pública. Enquanto 737 armas foram apreendidas em 2020, 573 tiveram o mesmo destino em 2021, o que representa uma queda no número de apreensões de 22,3%.

Dentro desse contexto, os registros de porte e posse ilegal de arma de fogo aumentou em 2021. Foram 488 registros de porte ilegal em 2020, o que significa um aumento de 22%, e 232 registros de posse ilegal no mesmo período, o que representa alta de 45,7%.

Clubes de tiro crescem

De acordo com dados do Exército, responsável pela concessão de licenças e fiscalização, o Rio Grande do Norte é o Estado do Nordeste que concentra o maior número de clubes de tiro em relação à população. São 36 clubes ao todo, o que representa a proporção de 10,1 clubes de tiro para cada 1 milhão de habitantes – a maior proporção entre todos os estados do Nordeste e a 11ª maior do País.

De dezembro de 2020 a março de 2022, os estados do Nordeste ganharam 108 novas estruturas do tipo, ou seja: 7 novos clubes de tiro foram abertos na região a cada mês, e a área com maior aumento é, justamente, a que agrega o Rio Grande do Norte.

Os dados foram conseguidos por dois veículos de comunicação diferentes também através da LAI (Lei de Acesso à Informação) com o Exército. Os números que mostram a liderança do RN no Nordeste foram solicitados pelo site Poder 360º e o do aumento no número de estruturas, pelos institutos Igarapé e Sou da Paz, a pedido do jornal O Globo. Mas a Agência Saiba Mais teve acesso com exclusividade à planilha do crescimento no número de clubes no Nordeste.

Pelos dados conseguidos pela Ong Sou da Paz, a região que mais teve aumento nesse período foi a que abrange Rio de Janeiro e Espírito Santo (+83,33%). Na sequência, vem a do Distrito Federal, Tocantins, Goiás e Triângulo Mineiro (+64,04%); seguido de Minas Gerais (+61,83% – sem o Triângulo Mineiro); São Paulo (+59,46) e, em seguida, a área onde está o RN (+57,45%).

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo