DEMOCRACIA

Maioria de desinformações sobre eleições vem do YouTube; TSE já recebeu quase 2 mil denúncias

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já recebeu 1.909 denúncias de desinformações sobre as eleições e o processo eleitoral. Destas, 1.744 foram apenas no YouTube, que é líder disparado no ranking de “fake news”. Outras 64 denúncias foram violações feitas no Twitter, 50 no Facebook, 23 disparos em massa pelo WhatsApp, 13 no Instagram, 8 no Tik Tok, 4 no Telegram e 3 no Kwai. Os dados são do TSE e se referem à última sexta-feira (12). 

Chamado de Sistema de Alerta de Desinformação Contra as Eleições, a plataforma foi criada em junho e atende todas as Unidades da Federação. O TSE e o Tribunal Regional Eleitoral não possuem os dados específicos do RN, já que essa informação não é pedida na hora do cadastro. 

No sistema, o usuário pode enviar denúncias de violações de termos de uso de plataformas digitais, especificamente relacionadas com a desinformação ou disparo em massa sobre o processo eleitoral. De acordo com o TSE, alguns exemplos de desinformações contra as eleições podem ser a veiculação de discurso de ódio e incitação a violência para atacar a integridade eleitoral e agentes públicos envolvidos no processo, informações não verificadas sobre fraude eleitoral, adulteração de votos, contagem de votos ou certificação dos resultados da eleição, dentre outros.

Ao registrar um alerta, o sistema oferece sete opções: desinformação; discurso violento ou odioso; disparo em massa; grave perturbação do ambiente democrático; indício de comportamento inautêntico; vazamento de dados/incidente cibernético, e violência de gênero. Caso o usuário deseje efetuar uma denúncia, basta acessar o Sistema de Alerta de Desinformação Contra as Eleições clicando aqui.

Saiba +

TRE cria núcleo para combater desinformações contra o processo eleitoral; 1838 denúncias já foram recebidas no Brasil

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo